Desigualdade Social: Significações de Prounistas do curso de Psicologia da PUC-SP

Autores

  • Marcos Martins Amaral Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
  • Renata Paparelli Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.17267/2317-3394rpds.v8i2.2318

Palavras-chave:

Fatores Socioeconômicos. Educação Superior. Subjetividade.

Resumo

A desigualdade social expressa-se, dentre outros modos, na dificuldade de acesso ao ensino superior. Medidas compensatórias e de ações afirmativas foram um avanço na medida em que abriram espaço para que negros(as) e periféricos(as) pudessem ocupar os bancos universitários. O objetivo deste trabalho foi analisar e compreender as experiências, percepções e sentidos subjetivos constituídos por discentes bolsistas do Programa Universidade para Todos (ProUni) do curso de Psicologia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) resultantes do encontro das estudantes pobres com a Universidade, local em que diferentes classes sociais se encontram. Destacamos a dimensão subjetiva do fenômeno, trazendo a realidade (objetividade) para a constituição da subjetividade, numa tentativa de superar as teorias objetivistas e subjetivistas, apropriando-nos do materialismo histórico dialético e da Psicologia Sócio-Histórica. Foram realizadas conversações para a produção de dados com duas prounistas que estavam cursando o quinto ano do referido curso em 2016. As falas foram compreendidas e analisadas à luz da desigualdade social, a partir da proposta de análise dos Núcleos de Significação. O movimento dialético de análise nos permitiu explicitar os sentidos subjetivos – doloridos e potentes - das graduandas no encontro desigual com a universidade, que produziu reposicionamentos importantes de existência e resistência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-07-18

Como Citar

Amaral, M. M., & Paparelli, R. (2019). Desigualdade Social: Significações de Prounistas do curso de Psicologia da PUC-SP. Revista Psicologia, Diversidade E Saúde, 8(2), 156–166. https://doi.org/10.17267/2317-3394rpds.v8i2.2318

Edição

Seção

Artigos Originais