Uso do escore APACHE IV como preditor de mortalidade e tempo de permanência em uma unidade de terapia intensiva

Gyzelly Alves de Carvalho, Adriana Arruda Barbosa Rezende, Geovane Rossone Reis, Giulliano Gardenghi

Resumo


INTRODUÇÃO: A avaliação do risco de morte e o tempo estimado de permanência em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) é uma prática clínica relevante para predizer a gravidade da doença e traçar estratégias eficazes para a melhora do paciente e dos indicadores de qualidade do hospital. OBJETIVO: Avaliar a confiabilidade do escore APACHE IV como preditor de mortalidade e tempo de permanência em uma UTI do sul do estado do Tocantins. MATERIAL E MÉTODO: Pesquisa de caráter descritivo e quali-quantitativo realizada nos prontuários dos pacientes internados em uma UTI do sul do estado do Tocantins.. Foram colhidas informações nos prontuários e aplicado o escore APACHE IV nos pacientes internados na UTI do sul do estado do Tocantins.no período de 24 de Outubro a 26 de Novembro de 2018. Foram excluídos os pacientes com período de internação inferior a 24 horas, que não realizaram todos os exames necessários para o APACHE IV, que foram transferidos do setor ou que não tiveram alta ou óbito ao final dessa pesquisa. Foi utilizado o coeficiente de correlação de Spearman para examinar a relação entre o escore APACHE-IV e o tempo de internação na UTI e para verificar a acurácia do APACHE-IV para mortalidade, à curva Receiver Operator Characteristic (ROC) com uma atribuição de 'bom'> 0,80. RESULTADOS: O escore APACHE IV foi aplicado em dez pacientes, sendo que este superestimou o período de permanência dos pacientes internados na UTI em estudo, com p<0,001 e a mortalidade geral, com diferença absoluta de 20% (p= 0,447). CONCLUSÃO: Baseada neste estudo, o APACHE IV não demonstrou confiabilidade para predição de mortalidade e tempo de permanência, porém a amostra insuficiente pode ter contribuído com esta conclusão.

Palavras-chave


Unidade de terapia intensiva. APACHE. Mortalidade.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v10i1.2606

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Gyzelly Alves de Carvalho, Giulliano Gardenghi, Adriana Arruda Barbosa Rezende

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

A RPF foi indexada e/ou catalogada nas seguintes bases de dados:

                                                  

 

Revista Pesquisa em Fisioterapia | ISSN: 2238-2704

Site atualizado em 28/02/2018

Licença Creative Commons