PROFILAXIA PARA TROMBOSE VENOSA PROFUNDA EM PACIENTES COM FRATURAS DE MEMBRO INFERIOR INTERNADOS EM UM HOSPITAL REFERÊNCIA DE GOIÂNIA

Autores

  • Lays Rodrigues Santos Hospital de Urgências de Goiânia
  • Adroaldo José Casa Junior
  • Giulliano Gardenghi Hospital ENCORE - coordenador científico http://orcid.org/0000-0002-8763-561X

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v7i1.1224

Palavras-chave:

trombose venosa profunda, fisioterapia, embolia pulmonar

Resumo

Introdução: A trombose venosa profunda (TVP) é caracterizada pela formação de trombos nas veias profundas. É a principal causa de embolia pulmonar (EP), sendo de extrema importância que se realize a profilaxia da TVP. Objetivos: Verificar se a profilaxia para TVP em pacientes com fraturas de membro inferior em um hospital público voltado para atendimento de urgências está sendo eficiente, identificar as categorias de risco para TVP de acordo com a Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV) e verificar o número de atendimentos de fisioterapia realizados nessa população durante internação hospitalar.  Metodologia: Estudo transversal quantitativo e analítico de 79 pacientes internados com uma ou múltiplas fraturas em membro inferior, entre abril e junho de 2016. Os dados foram coletados nos prontuários, sendo aplicado o protocolo de estratificação de risco para TVP da SBACV.  Resultados: Homens corresponderam 75,9% da amostra. A idade foi de 38,6 ± 18,2 anos. 1,3 % da amostra foram estratificados em baixo risco, 74,7% em médio risco e 24,1% em alto risco para TVP. 3,8% da amostra não receberam profilaxia medicamentosa. Os incluídos no estudo receberam atendimento fisioterapêutico a cada 2,6 dias durante período de internação e 2,5% da amostra apresentaram complicações, sendo um óbito e uma TVP com evolução para TEP. Conclusões: A profilaxia medicamentosa para TVP associado às manobras fisioterapêuticas foram eficazes na maioria dos pacientes estudados. A maior parte dos pacientes foi classificada como em médio risco para desenvolvimento de TVP. O número de sessões de fisioterapia durante o período de internação prestado foi considerado baixo, pela falta de pessoal associada ao serviço público em questão. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lays Rodrigues Santos, Hospital de Urgências de Goiânia

Fisioterapeuta; Pós-graduanda em Fisioterapia Traumato-Ortopédica. Fisioterapeuta na empresa Lifecare, prestadora de serviço junto ao Hospital de Urgências de Goiânia, Goiânia, Goiás, Brasil.

Giulliano Gardenghi, Hospital ENCORE - coordenador científico

Fisioterapeuta; Doutor em Ciências pela FMUSP, Coordenador Científico do Hospital ENCORE/GO; Coordenador Científico do CEAFI Pós-Graduação/GO, coordenador do Serviço de Fisioterapia da UTI do IGOPE (Instituto Goiano de Pediatria) e coordenador do Curso de Pós-Graduação em Fisioterapia Hospitalar do Hospital e Maternidade São Cristóvão, São Paulo/SP,Brasil.

Downloads

Publicado

2017-02-21

Como Citar

Santos, L. R., Casa Junior, A. J., & Gardenghi, G. (2017). PROFILAXIA PARA TROMBOSE VENOSA PROFUNDA EM PACIENTES COM FRATURAS DE MEMBRO INFERIOR INTERNADOS EM UM HOSPITAL REFERÊNCIA DE GOIÂNIA. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 7(1), 61–69. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v7i1.1224

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)