AVALIAÇÃO DA DOR COMO QUINTO SINAL VITAL: UMA ESCOLHA PROFISSIONAL DE INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA

Ana Cláudia Heinen, Cássia da Luz Goulart, Ana Cristina Sudbrack, Tânia Cristina Malezan Fleig, Andréa Lúcia Gonçalves da Silva

Resumo


Introdução: A dor é tão universal que seu reconhecimento deve ser uma habilidade essencial dos profissionais da saúde. Por ser considerada subjetiva e expressa de diferentes formas, foram criadas várias escalas para mensurar a dor do indivíduo dentro do processo de avaliação. Objetivo: reconhecer a escala de dor que melhor se aplica na avaliação deste sintoma junto aos fisioterapeutas e pacientes para consequente implementação no serviço de fisioterapia hospitalar. Métodos: estudo transversal, tipo quali-quantitativo, com amostra de conveniência composta por fisioterapeutas e pacientes adultos hospitalizados no Hospital Santa Cruz, de Santa Cruz do Sul-RS. Constituído de quatro etapas: aplicação de questionário junto aos fisioterapeutas; aplicação de questionário junto aos pacientes; utilização da escala de dor pelos fisioterapeutas; nova aplicação de questionário junto aos fisioterapeutas. Resultados: No questionário aplicado junto aos fisioterapeutas (n=15), obteve-se a escala numérica como a preferida por ser de fácil entendimento (53,33%) e com melhor relação custo-benefício (53,33%). Já aplicação com os pacientes (n=23), houve predomínio da escala visual analógica (EVA) (teste = 39,13%; re-teste = 43,48%). A EVA foi implementada junto ao serviço de fisioterapia hospitalar por 08 fisioterapeutas nas suas avaliações e atendimentos. No acompanhamento da utilização desta, em registro nos prontuários, verificou-se o uso mais efetivo nas avaliações e por fisioterapeutas. Conclusão: Foi possível verificar o reconhecimento da escala de dor que melhor se aplica na avaliação deste sintoma como quinto sinal vital, bem como reconhecer junto a fisioterapeutas e pacientes a mais indicada quanto à compreensão e fácil entendimento, ou seja, a Escala EVA. 


Palavras-chave


Avaliação; Dor; Fisioterapia

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v6i4.935

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Ana Cláudia Heinen, Cássia da Luz Goulart, Ana Cristina Sudbrack, Tânia Cristina Malezan Fleig, Andréa Lúcia Gonçalves da Silva

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

A RPF foi indexada e/ou catalogada nas seguintes bases de dados:

                                                  

 

Revista Pesquisa em Fisioterapia | ISSN: 2238-2704

Site atualizado em 28/02/2018

Licença Creative Commons