[Errata] Efeito do pré-condicionamento isquêmico remoto no consumo máximo de oxigênio e potência máxima em corredores e ciclistas: revisão sistemática e metanálise

Autores

  • Francisco Tiago Oliveira BAHIANA - School of Medicine and Public Health (Salvador)
  • Marcos Eduardo Freitas
  • Celso Nascimento Almeida
  • Robson Santos Santana
  • Ciro Oliveira Queiroz
  • Cristiane Maria Carvalho Costa Dias

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v11i3.3859

Palavras-chave:

Aptidão Cardiorrespiratória. Exercício Físico. Pré-condicionamento Isquêmico.

Resumo

INTRODUÇÃO: O pré-condicionamento isquêmico remoto (PCIR) é uma intervenção cardioprotetora não invasiva que atenua a lesão celular sofrida por uma isquemia prolongada. Seus efeitos de proteção sobre o coração, quando aplicado ao esporte, pode melhorar o desempenho do exercício. OBJETIVO: Investigar o efeito do pré-condicionamento isquêmico remoto no consumo máximo de oxigênio (VO2máx) e potência máxima (Wmáx) em corredores e ciclistas. METODOLOGIA: Revisão sistemática e metanálise, com ensaios clínicos randomizados. Baseado no PRISMA e avaliado pelo repositório de projetos de revisões sistemática PROSPERO; entretanto, não obteve o registro por se tratar de um desfecho de performance esportiva.  As buscas foram realizadas nas bases de dados Medline/PubMed, SciELO, Periódicos CAPES. A seleção dos estudos foi realizada em duas etapas: leitura do título e resumo, e leitura completa dos artigos. A extração dos dados foi realizada pela transcrição das informações. A qualidade metodológica foi avaliada pela escala risco de viés através da ferramenta Cochrane. Excluíram-se estudos que investigaram variáveis diferentes dos desfechos selecionados para esta revisão. RESULTADOS: Foram incluídos oito ensaios clínicos.  Verificou-se que nos itens geração de sequência aleatória, ocultação de alocação e cegamento de avaliadores de desfecho em quase todos os estudos tiveram alto risco de viés. Os resultados da metanálise não mostraram diferenças significativas no VO2máx e Wmáx. CONCLUSÃO: O pré-condicionamento isquêmico remoto não se mostrou eficaz para aumentar o VO2máx e a Wmáx em corredores e ciclistas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2021-06-01

Como Citar

Oliveira, F. T., Freitas, M. E., Almeida, C. N., Santana, R. S., Queiroz, C. O., & Costa Dias, C. M. C. (2021). [Errata] Efeito do pré-condicionamento isquêmico remoto no consumo máximo de oxigênio e potência máxima em corredores e ciclistas: revisão sistemática e metanálise. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 11(3), 609–618. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v11i3.3859

Edição

Seção

Revisões de Literatura

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)