Análise do desenvolvimento neuropsicomotor de pré-termos em ambulatório multidisciplinar: um olhar da fisioterapia

Autores

  • Nicole Almeida Universidade Federal do Paraná, Departamento de Prevenção e Reabilitação em Fisioterapia, Curitiba, Paraná, Brasil. http://orcid.org/0000-0001-5128-5585
  • Daiane Aparecida da Silva Universidade Federal do Paraná, Departamento de Prevenção e Reabilitação em Fisioterapia, Curitiba, Paraná, Brasil. http://orcid.org/0000-0001-6092-9549
  • Larissa Rebola Volpi da Silva Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná http://orcid.org/0000-0002-0062-2331
  • Audrin Said Vojciechowski Hospital Constantini http://orcid.org/0000-0003-4260-0138
  • Arlete Ana Motter Universidade Federal do Paraná, Departamento de Prevenção e Reabilitação em Fisioterapia, Curitiba, Paraná, Brasil. http://orcid.org/0000-0002-2585-207X
  • Talita Gianello Gnoato Zotz Universidade Federal do Paraná, Departamento de Prevenção e Reabilitação em Fisioterapia, Curitiba, Paraná, Brasil. http://orcid.org/0000-0001-9974-7320

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v11i1.3378

Palavras-chave:

Recém-Nascido Prematuro. Fisioterapia. Desenvolvimento infantil. Estimulação precoce.

Resumo

INTRODUÇÃO: Desde a gestação até o nascimento o desenvolvimento neuropsicomotor é influenciado por diversos fatores biopsicossociais. Tal influência pode ser ainda mais acentuada em recém-nascidos pré-termo devido a internação na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal, por isto bebês pré-termos estão mais susceptíveis a essas influências. OBJETIVO: Analisar sob a ótica do fisioterapeuta o desenvolvimento neuropsicomotor de pré-termos em ambulatório multidisciplinar de um hospital público. METODOLOGIA: Estudo observacional e longitudinal, ambispectivo, de 19 crianças nascidas prematuras de 0 a 12 meses de idade corrigida, sendo critério de exclusão crianças com alterações cognitivas e/ou genéticas ou não terem assinado o termo de consentimento. Os dados foram coletados por meio da análise de prontuários entre agosto de 2017 e dezembro de 2018, o desenvolvimento avaliado por meio do Teste Triagem Denver II , em dois momentos: A1 e A2, em sua admissão e retorno ao serviço após a alta da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal e para análise da relação entre mãe e bebê foi utilizada a Avaliação Vínculo Mãe/filho apenas em A1. As estimulações eram realizadas por meio de orientações e folder educativo para os pais e responsáveis. Os dados foram analisados, por meio de média, desvio-padrão, frequência absoluta e relativa, mediana, minimo e máximo e Teste de Wilcoxon para os domínios do Teste Denver II A1 em comparação a A2, utilizando o programa SPSS versão 20.0. RESULTADOS: Foram acompanhadas 19 crianças, destas 79% foram classificadas com desenvolvimento normal no A1. As crianças que apresentaram déficits no A1 (10,5%), superaram no A2. Porém, no segundo atendimento, algumas passaram a apresentar dificuldade em novas tarefas/domínio (motor, motor fino e pessoal-social), de modo que 31,5% apresentaram desenvolvimento geral anormal em A2. Foi encontrada diferença significativa (p=0,02) ao comparar as classificações gerais de Denver II nos dois momentos de avaliação. O vínculo mãe-filho foi classificado como fraco (média de 5,8 pontos).  CONCLUSÃO: Observou-se que os bebês superaram os atrasos identificados na primeira avaliação, embora os resultados no Denver tiveram variações ao longo do tempo. Dessa forma, acredita-se que o perfil familiar identificado nesta pesquisa somada a abordagem multiprofissional possa ter favorecido o desenvolvimento neuropsicomotor dos bebês prematuros com até 12 meses de idade corrigida. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2021-01-18

Como Citar

Almeida, N., Silva, D. A. da, da Silva, L. R. V., Vojciechowski, A. S., Motter, A. A., & Zotz, T. G. G. (2021). Análise do desenvolvimento neuropsicomotor de pré-termos em ambulatório multidisciplinar: um olhar da fisioterapia. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 11(1), 106–115. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v11i1.3378

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)