Prevalência de fraturas de platô tibial em pacientes de um hospital público do Piauí

Thayze Lima Batista, Jáder Luís Coêlho Fernandes Mendes, Francisco Valmor Macedo Cunha

Resumo


OBJETIVO: Determinar prevalência de fraturas de platô tibial em pacientes internos em um Hospital Público do Piauí. MATERIAIS E MÉTODOS: Foram analisados 50 prontuários com Fraturas de Platô Tibial de Janeiro de 2017 a Janeiro de 2018. O instrumento de análise foi um questionário composto por informações relevantes, como: sexo, idade, raça, mecanismo de lesão, tipos de fratura e lado acometido, para a coleta dos dados. Para análise dos dados utilizou-se a estatística descritiva com cálculos de médias, desvio padrão e frequências absoluta e relativa. RESULTADOS: A maior incidência das fraturas foi no sexo masculino (72%). A média de idade dos pacientes foi de 38 ± 13,86 anos, vítimas principalmente de acidentes automobilísticos (66%), sendo o lado mais acometido o direito (70%) com a incidência maior de fratura oblíqua (48%). CONCLUSÃO: há maior prevalência de fraturas do platô tibial no sexo masculino, faixa etária de 19-29 anos, vítima de acidente automobilísticos, com fraturas oblíquas.


Palavras-chave


Prevalência. Fraturas. Hospital público. Fraturas de platô tibial.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v10i2.2804

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Thayze Lima Batista, Francisco Valmor Macedo Cunha, Jáder Luís Coêlho Fernandes Mendes

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

A RPF foi indexada e/ou catalogada nas seguintes bases de dados:

                                                  

 

Revista Pesquisa em Fisioterapia | ISSN: 2238-2704

Site atualizado em 28/02/2018

Licença Creative Commons