SÍNDROME DE BURNOUT EM FISIOTERAPEUTAS INTENSIVISTAS

Autores

  • Camila Porto Nascimento Faculdade Independente do Nordeste- FAINOR
  • Karla Cavalcante Silva de Morais Mestre em Saúde Pública pela ENSP/FIOCRUZ; Docente da Faculdade Independente do Nordeste e da Faculdade Maurício de Nassau - VCA. Especialista em Fisioterapia em Traumato-Ortopedia e Reumatologia pela Faculdade Independente do Nordeste;Especialista em Saúde Coletiva com ênfase em PSF pela Faculdade Independente do Nordeste; Bacharel em Fisioterapia pela Faculdade de Tecnologias e Ciências.
  • Vanessa Cruz Miranda Faculdade Independente do Nordeste
  • Juliana Barros Ferreira Faculdade Independente do Nordeste- FAINOR

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v7i2.1302

Palavras-chave:

Burnout. Esgotamento profissional. Fisioterapeutas. Qualidade de vida

Resumo

Introdução: A Síndrome de Burnout é um distúrbio psiquiátrico de caráter depressivo, precedido de esgotamento físico e mental, com íntima associação à atividade profissional. As Unidades de Terapia Intensiva encontram-se dentro do contexto de risco à saúde ocupacional, por se tratarem de ambientes fechados, possuírem rotinas de trabalho exigentes e desgastantes, que envolvem rotineiramente questões éticas e tomada de decisões difíceis, além do permanente convívio com o sofrimento e morte. Esses fatores abrem portas para patologias ligadas ao estresse, passando a haver uma preocupação com a qualidade de vida dos profissionais que atuam nessas unidades. Objetivo: Avaliar a presença de aspectos relacionados a Síndrome de Burnout em fisioterapeutas intensivistas de Vitória da Conquista-BA e correlacionar com sua qualidade de vida. Metodologia: Trata-se de um estudo descritivo, exploratório, analítico, com delineamento transversal e abordagem quantitativa, teve como amostra 25 profissionais, composta por Fisioterapeutas atuantes nas Unidades de Terapia Intensiva adulto de Vitória da Conquista- BA. Foi utilizado dois questionários autoaplicáveis para avaliar a presença de aspectos relacionados à Síndrome de Burnout e a Qualidade de Vida. Resultados: Observou-se a prevalência de Burnout em apenas um profissional dos que participaram do estudo (4%) e outros quatro apresentaram alto risco de desenvolvê-la (16%). Observou-se também que a maioria dos fisioterapeutas estão com a qualidade de vida boa na maior parte dos domínios do WOQOL-bref. Ao correlacionar os aspectos da Síndrome de Burnout com a Qualidade de Vida pôde-se observar uma correlação negativa estatisticamente significativa a 1% entre a Qualidade de Vida no domínio físico e a despersonalização (r=-0,53). Notou-se também ao nível de 10%, correlações positivas entre o domínio físico e realização profissional (r=0,39), e que há correlação negativa entre o domínio psicológico e despersonalização (r=-0,34), para este mesmo nível de significância. Conclusão: Embora os fisioterapeutas que trabalham em Unidades de Terapia Intensiva estejam expostos a fatores de risco, não foi observado elevados níveis de Burnout. Destaca-se também, que uma parcela de profissionais apresentou alto risco de desenvolvê-la, constituindo-se como alerta, já que, se não forem implementadas medidas preventivas, estes profissionais poderão vir a desenvolver a síndrome.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camila Porto Nascimento, Faculdade Independente do Nordeste- FAINOR

Graduanda do 10º semestre do Colegiado de Fisioterapia

Karla Cavalcante Silva de Morais, Mestre em Saúde Pública pela ENSP/FIOCRUZ; Docente da Faculdade Independente do Nordeste e da Faculdade Maurício de Nassau - VCA. Especialista em Fisioterapia em Traumato-Ortopedia e Reumatologia pela Faculdade Independente do Nordeste;Especialista em Saúde Coletiva com ênfase em PSF pela Faculdade Independente do Nordeste; Bacharel em Fisioterapia pela Faculdade de Tecnologias e Ciências.

Fisioterapeuta, Mestre em Saúde Pública pela ENSP/FIOCRUZ, Docente FAINOR, VCA/BA, BR

Vanessa Cruz Miranda, Faculdade Independente do Nordeste

Fisioterapeuta, Mestre em Saúde Pública pela ENSP/FIOCRUZ, Docente FAINOR, VCA/BA, BR

Juliana Barros Ferreira, Faculdade Independente do Nordeste- FAINOR

Fisioterapeuta, Mestranda em Tecnologias em Saúde pela EBMSP, Docente FAINOR, VCA/BA, BR

Downloads

Publicado

2017-05-29

Como Citar

Nascimento, C. P., Silva de Morais, K. C., Miranda, V. C., & Ferreira, J. B. (2017). SÍNDROME DE BURNOUT EM FISIOTERAPEUTAS INTENSIVISTAS. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 7(2), 188–198. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v7i2.1302

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)