Depressão entre estudantes de medicina no Brasil: uma revisão sistemática

Cristina Rosa, Erika dos Santos Nunes, Anderson da Costa Armstrong

Abstract


A prevalência geral dos sintomas depressivos entre estudantes de medicina está em torno de 27,2% em nível global e de 30,6% no Brasil. Neste estudo objetivamos investigar o estado da saúde mental nas escolas de medicina do Brasil a partir da identificação dos estudos realizados no Brasil entre 2008 e 2018 sobre a prevalência e fatores de risco de depressão e sintomas depressivos entre estudantes de medicina. Foram poucos os estudos encontrados (21), concentrados nas regiões Sul-Sudeste e que apontam uma prevalência com alto grau de variabilidade (5,6% a 79%). Embora a maior parte dos estudos tenham utilizado o mesmo instrumento Inventário Depressivo de Beck (BDI), as diferenças nas metodologias divergem desde o recorte da análise realizada (de ideação suicida a sintomas depressivos), quanto na amostra e na variabilidade dos métodos utilizados (alguns analisaram os graus dos sintomas depressivos, e outros fizeram ainda um filtro de identificação dos falsos positivos). Nossos achados estão alinhados com outros estudos que relatam a precarização da saúde mental entre estudantes de medicina, o que sugere uma provável ocorrência global problema e uma prevalência elevada entre os futuros médicos brasileiros.


Keywords


Depressão. Estudantes de medicina. Transtornos mentais. Saúde mental.



DOI: http://dx.doi.org/10.17267/2594-7907ijhe.v5i1.2722

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Copyright (c) 2020 Cristina Rosa

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

This journal has been indexed and/or catalogued in the following databases:

    

 

International Journal of Health Education | ISSN 2594-7907

Updated 10/08/2020

Creative Commons License