Determinantes sociais de saúde e óbito por câncer oral em uma unidade de alta complexidade em oncologia de um município da Bahia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17267/2596-3368dentistry.v10i2.2446

Palavras-chave:

Neoplasias bucais. Carcinoma de células escamosas. Fatores socioeconômicos. Condições sociais. Epidemiologia.

Resumo

INTRODUÇÃO: Os determinantes sociais podem refletir na ocorrência, prognóstico e mortalidade do câncer oral. OBJETIVO: Analisar as principais características sociodemográficas e hábitos de vida, assim como a relação com o óbito por câncer oral em uma Unidade de Alta Complexidade em Oncologia no município de Feira de Santana, Bahia, no período de 2010 a 2016. MÉTODOS E MATERIAIS: Estudo transversal realizado através da revisão de prontuários clínicos, seguida de uma análise descritiva das principais variáveis e análise bivariada entre as covariáveis consideradas determinantes sociais e o óbito pela doença. Todas as análises foram realizadas com o programa SPSS 22 e Stata 14.0. RESULTADOS: Foram diagnosticados 282 casos de carcinomas de células escamosas, na maioria em idosos (87,6%), do sexo masculino (79,6%), de origem urbana, que residiam em municípios de grande e médio porte, negros e pardos, casados, com baixa escolaridade, com ocupação, tabagistas (89,6%) e etilistas (85,0%). As lesões estavam localizadas principalmente na região de língua (37,9%), eram moderadamente diferenciadas (48,9%), diagnosticados em estádios avançados (III e IV) (84,7%), tratados em sua maioria com quimioterapia e radioterapia (34,3%) e 35,7% dos casos foram a óbito.  A variável raça/cor apresentou significância estatística com o óbito pela doença (p = 0,006).  CONCLUSÃO: Os resultados do presente estudo revelaram que dentre as covariáveis sociodemográficas e de hábitos de vida a raça/cor apresentou significância com relação ao óbito, indicando um pior prognóstico relacionado a pacientes negros e pardos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marília de Matos Amorim, Universidade Estadual de Feira de Santana

Cirurgiã-dentista; Mestre em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS); Doutoranda em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS).

Lidiane de Jesus Lisboa, Universidade Estadual de Feira de Santana

Cirurgiã-dentista; Mestranda em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS).

Sarah dos Santos Conceição, Universidade de Brasília

Cirurgiã-dentista; Mestre em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS); Doutoranda em Ciências da Saúde pela Universidade de Brasília.

Tatiana Frederico de Almeida de Almeida, Universidade Federal da Bahia

Cirurgiã-dentista; Mestre e Doutora em Saúde Coletiva pelo Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia (ISC-UFBA). Professora Adjunta da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal da Bahia.

Valéria Souza Freitas, Universidade Estadual de Feira de Santana

Cirurgiã-dentista; Mestre em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Feira de Santana  (UEFS); Doutora em Patologia Oral pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN); Professora Adjunta do Curso de Odontologia da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS); Professora do Quadro Permanente do programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva (Mestrado e Doutorado) da UEFS

Publicado

2019-11-20

Como Citar

Amorim, M. de M., Lisboa, L. de J., Conceição, S. dos S., de Almeida, T. F. de A., & Freitas, V. S. (2019). Determinantes sociais de saúde e óbito por câncer oral em uma unidade de alta complexidade em oncologia de um município da Bahia. Journal of Dentistry & Public Health (inactive / Archive Only), 10(2), 97–107. https://doi.org/10.17267/2596-3368dentistry.v10i2.2446

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)