IMPACTO DOS ASPECTOS SOCIODEMOGRÁFICOS E CLÍNICOS NA QUALIDADE DE VIDA DE PORTADORES DE HTLV-I COM HAM/TSP

Autores

  • Luana Mocellin Delazeli Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
  • Luana Rodrigues Santos Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
  • Selena Márcia Dubois Mendes Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
  • Abrahão Fontes Baptista Universidade Federal da Bahia
  • Kátia Nunes Sá Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v2i1.85

Palavras-chave:

Virus Linfotropico, HAM-TSP, HTLV-1

Resumo

Introdução: O vírus linfotrópico de células T Humanas HTLV-1, retrovírus humano, pode provocar, dentre outras, uma doença neurológica: a paraparesia espástica tropical / mielopatia associada ao HTLV-1 (HAM/TSP). É uma doença progressiva e incapacitante podendo gerar distúrbios da marcha, fraqueza muscular e enrijecimento dos membros inferiores, além de comprometimento do equilíbrio, o que impacta na qualidade de vida das pessoas infectadas. Objetivo: Verificar a associação dos domínios da qualidade de vida com aspectos sociodemográficos e clínicos em portadores de HTLV-I com HAM/TSP. Métodos: Estudo observacional de corte transversal em amostra de 115 portadores de HTLV -1 com HAM/TSP de um centro de referência. Os dados foram verificados através do questionário SF-36 e de uma ficha de dados sociodemográficos e clínicos. Utilizou-se o teste Qui-Quadrado para testar o nível de significância entre as variáveis: idade categorizada, cor da pele, classe social, estado civil, escolaridade e diagnóstico de HAM/TSP categorizados, os quais foram relacionados com os domínios de Qualidade de Vida do questionário SF-36. O teste t-student foi utilizado na pesquisa para testar a relação existente entre as variáveis: sexo e atividade física e fisioterapia associado com os domínios da Qualidade de Vida. Resultados: Verificou-se que 69,6% dos participantes eram do sexo feminino, 72,2% tinham idade entre 35 a 64 anos, 59,1% pertenciam à classe social D e 29,6% tinham escolaridade baixa. Quando comparados os domínios da qualidade de vida com o diagnóstico de HAM/TSP, verificou-se maiores comprometimentos em capacidade funcional (p=0,001) e aspecto físico (p=0,002). Pertencer ao gênero feminino e à classe social baixa geraram maior perda da qualidade de vida. Conclusão: Os domínios da QV mais comprometidos nos portadores de HTLV-1 com HAM/TSP definido foram capacidade funcional e aspecto físico. As pessoas mais comprometidas  foram adultos do sexo feminino pertencentes à classe social D.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luana Mocellin Delazeli, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública

Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
(EBMSP) & Grupo de Pesquisa em Dinâmica do
Sistema Neuromusculoesquelético / EBMSP

Luana Rodrigues Santos, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública

Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
(EBMSP) & Grupo de Pesquisa em Dinâmica do
Sistema Neuromusculoesquelético / EBMSP

Selena Márcia Dubois Mendes, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública

Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
(EBMSP) & Grupo de Pesquisa em Dinâmica do
Sistema Neuromusculoesquelético / EBMSP

Kátia Nunes Sá, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública

Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
(EBMSP) & Grupo de Pesquisa em Dinâmica do
Sistema Neuromusculoesquelético / EBMSP

Downloads

Publicado

2012-12-22

Como Citar

Delazeli, L. M., Santos, L. R., Mendes, S. M. D., Baptista, A. F., & Sá, K. N. (2012). IMPACTO DOS ASPECTOS SOCIODEMOGRÁFICOS E CLÍNICOS NA QUALIDADE DE VIDA DE PORTADORES DE HTLV-I COM HAM/TSP. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 2(1). https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v2i1.85

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>