RELAÇÃO DO TIPO E NÚMERO DE PARTO NA FUNÇÃO SEXUAL E AUTOIMAGEM GENITAL FEMININA: UM ESTUDO OBSERVACIONAL

Autores

  • Hortênsia Amorim Escola Bahiana de Medicina e Saúde Humana
  • Cristina Brasil Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
  • Tâmara Gomes Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
  • Larissa Correia Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
  • Patricia Martins Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
  • Patricia Lordelo Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v5i1.571

Palavras-chave:

Parto natural, Cesárea, Paridade, Saúde sexual, Autoimagem, Genitália, Mulheres

Resumo

Introdução: Devido às mudanças anatômicas que a gestação, o parto e a multiparidade causam nos músculos do assoalho pélvico (MAP) esses são fatores de risco para distúrbios do assoalho pélvico. Essas alterações podem levar a disfunção sexual ou a alteração da percepção da autoimagem genital. Objetivo: Verificar a relação dos tipos e número de parto com a função sexual e a autoimagem genital feminina. Materiais e Métodos: Estudo observacional, de corte transversal. Foram analisadas 384 mulheres na faixa etária de 18 a 60 anos, sexualmente ativas, matriculadas em academias. Os critérios de exclusão envolvem as participantes com dificuldades de compreensão dos instrumentos e o preenchimento inadequado dos questionários. Os questionários FSFI (Female Sexual Function Index), FGSIS (Female Genital Self-Image Scale) e os dados sociodemográficos foram autoaplicáveis. O FGSIS possui uma variação na pontuação de 7 a 28, no qual escores mais altos indicam uma autoimagem genital positiva e o FSFI – considera-se disfunção sexual o escore ? 26. As variáveis categóricas (tipo e número de parto) foram apresentadas em frequências, e a relação do FSFI e FGSIS foi feita pelo teste t independente considerado um p?0,05. Resultados: 384 mulheres com média da idade de 34,9±10,1 anos e IMC de 24,1±3,5 kg/m2. O FSFI apresentou alteração nos domínios desejo e excitação, já os escores do FGSIS não tiveram influencia do número e tipo de parto. Conclusão: Os resultados mostraram que o número e o tipo de parto apresenta uma relação com a função sexual feminina diminuída, o que não foi demonstrado com relação a autoimagem genital.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hortênsia Amorim, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Humana

Acadêmica de Fisioterapia - Bolsista PIBIC/Bahiana

Cristina Brasil, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública

Mestranda em Medicina e Saúde Humana - Bolsista FAPESB

Tâmara Gomes, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública

Mestranda em Tecnologias em Saúde - Bolsista FAPESB

Larissa Correia, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública

Acadêmica de Fisioterapia - Bolsista PIBIC/Bahiana

Patricia Martins, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública

Mestranda em Tecnologias em Saúde - Bolsista FAPESB

Patricia Lordelo, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública

Doutora em Medicina e Saúde Humana, Docente permanente da Pós-graduação nos programas Medicina e Saúde Humana e Tecnologias em Saúde

Downloads

Publicado

2015-05-23

Como Citar

Amorim, H., Brasil, C., Gomes, T., Correia, L., Martins, P., & Lordelo, P. (2015). RELAÇÃO DO TIPO E NÚMERO DE PARTO NA FUNÇÃO SEXUAL E AUTOIMAGEM GENITAL FEMININA: UM ESTUDO OBSERVACIONAL. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 5(1). https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v5i1.571

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>