Confiabilidade da avaliação de retração de cintura escapular em uma unidade de cuidados intermediários neonatal

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.2022.e4416

Palavras-chave:

Retração de cintura escapular, recém-nascidos, lactentes, escápulas

Resumo

OBJETIVO: Avaliar a confiabilidade inter e intra-examinador, na utilização de instrumentos de avaliação da retração de cintura escapular em crianças internadas em uma unidade de cuidados intermediários neonatal. MATERIAL E MÉTODOS: Estudo quantitativo, transversal e observacional, realizado com recém-nascidos e lactentes que necessitaram de internamento numa unidade de cuidados intermediários neonatal. A coleta de dados ocorreu de outubro de 2019 a fevereiro de 2020. Para avaliação da retração da cintura escapular foi utilizado um protocolo de inspeção biomecânica elaborado pelas pesquisadoras, que possibilitou a realização de medidas (em centímetros) das bordas mediais superiores e inferiores, direita e esquerda, até a coluna vertebral, com a cabeça em rotação para a direita e para a esquerda, e o sinal do cachecol. As avaliações foram realizadas sempre pelos mesmos avaliadores. Para estimar a confiabilidade inter e intra-examinador do protocolo de inspeção biomecânica e sinal do cachecol, foi utilizado o Índice de Kappa e para as medidas do posicionamento das escápulas, o Coeficiente de Correlação Intraclasse. RESULTADOS: O protocolo de inspeção biomecânica dos sinais sugestivos de retração de cintura escapular demostrou concordância leve a moderada inter-examinadores e substancial a quase perfeita intra-examinador. A concordância inter-examinadores obtida no sinal do cachecol foi leve a moderada, e quase perfeita intra-examinador. O posicionamento das escapulas, apresentou concordância inter-examinadores considerada como boa e concordância excelente intra-examinador. CONCLUSÃO: A avaliação de sinais sugestivos de retração de cintura escapular, em recém-nascidos e lactentes, apresenta baixos índices confiabilidade inter-examinadores e altíssima confiabilidade intra-examinador.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Lessa NMC. Avaliação do desenvolvimento postural e do desempenho motor em crianças de 4 a 6 anos de idade nascidas prematuras: visão fisiterapêutica [dissertação] [Internet]. Rio de Janeiro: Instituto Fernandes Figueira, Fundação Oswaldo Cruz; 2006. Available from: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/3495

Toso BRGO, Viera CS, Valter JM, Delatore S, Barreto GMS. Validation of Newborn positioning protocol in Intensive Care Unit. Rev Bras Enferm. 2015;68(6):835-41. https://doi.org/10.1590/0034-7167.2015680621i

Moreira EG, Grave MTQ. Avaliação do desenvolvimento motor de crianças prematuras nascidas em uma pequena cidade do do Vale do Rio dos Sinos. Revista Destaques Acadêmicos [Internet]. 2014;6(3):64-71. Available from: http://www.univates.br/revistas/index.php/destaques/article/view/416

Lanza FC, Gazzoti MR, Palazzin A. Fisioterapia em Pediatria e Neonatologia da UTI ao Ambulatório. São Paulo: Editora Manole; 2012.

Prado C, Vale LA. Fisioterapia Neonatal e Pediátrica. São Paulo: Editora Manole; 2012.

Moreira AMNM. A intervenção precoce em recém-nascidos pré-termo: o posicionamento, a correcção postural e neuromuscular [dissertação] [Internet]. Porto: Universidade do Porto; 2004. Available from: https://hdl.handle.net/10216/23342

Groot L. Posture and Mobility in preterm infants. Developmental Medicine & Child Neurology. 2000;42(1):65-8. https://doi.org/10.1111/j.1469-8749.2000.tb00028.x

Oliveira MP, Melo MFA, Sá SMP. Retração Escapular e RN prematuros Sob Ventiação Mecânica Invasiva: Relato de Caso. Anais da XII Mostra Científica e Cultural da Bahiana; 2012; Salvador, BA.

Johansen K, Persson K, Sonnander K, Magnusson M, Sarkadi A, Lucas S. Clinical utility of the Structured Observation of Motor Performance in Infants Within the child health services. PLOS ONE. 2017;12(7):e0181398. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0181398

Gomes JS, Albergaria TFS, Flor CJDRV, Pinto Júnior EP, Gomes IML. Scapular waist retraction in newborns admitted to an Intermediate Care Unit. Rev Pesqui Fisioter. 2021;11(1):96-105. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v11i1.3369

Amiel-Tison C. A method for neurologic evaluation within the first year of life. Curr Probl Pediatr. 1976;7(1):1-50. Cited: PMID: 975863.

Georgieff MK, Bernbaum JC. Abnormal shoulder girdle muscle tone in premature infants during their first 18 months of life. Pediatrics. 1986;77(5):664-9. Cited: PMID: 3703633.

Leksulchai R, Cole J. Scarf ratio: A method of measuring the Scarf Sign in preterm born infants. Aust J Physiother. 2000;46(2):85-90. https://doi.org/10.1016/s0004-9514(14)60316-0

Silva RS, Paes AT. Teste de concordância Kappa. Einsten: Educ Contin Saúde [Internet]. 2012;10(4):165-6. Available from: http://apps.einstein.br/revista/arquivos/PDF/2715-165-166.pdf

Terry KK, Mae YL. A Guideline of Selecting and Reporting Intraclass Correlation Coefficients for Reliability Research. J Chiropr Med. 2016;15(2):155–63. https://doi.org/10.1016/j.jcm.2016.02.012

Tecklin JS. A criança de alto risco. In: Fisioterapia pediátrica. Porto Alegre: Artmed; 2002. p.69-96.

Boyd EA, Torrance GM. Clinical measures of shoulder subluxation: their reliability. Can J Public Health. 1992;83 (Suppl 2):S24-8. Cited: PMID: 1468045.

Publicado

2022-07-21

Como Citar

Santos, L. S. F., Albergaria, T. F. dos S., Flor, C. J. D. R. V., Pinto Junior, E. P., & Pedreira, R. B. S. (2022). Confiabilidade da avaliação de retração de cintura escapular em uma unidade de cuidados intermediários neonatal. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 12, e4416. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.2022.e4416

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)