Entendimento da equipe multiprofissional sobre a mobilização precoce e a segurança da sua aplicação em neonatos no pós-operatório

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v11i4.4082

Palavras-chave:

Neonatologia, Mobilização precoce, Cuidados pós-operatório, Equipe multiprofissional, Segurança do paciente

Resumo

Introdução: Neonatos no pós-operatório com repouso prolongado no leito estão sujeitos a consequências a longo prazo, sendo a mobilização precoce uma possibilidade de intervenção terapêutica. Objetivo: Descrever o entendimento dos profissionais de saúde de uma unidade de terapia intensiva neonatal (UTIN) cirúrgica sobre mobilização precoce e quanto consideram segura a aplicação em neonatos no pós-operatório. Metodologia: Trata-se de um estudo analítico descritivo de corte transversal, através de uma abordagem quanti-qualitativa, com resposta de questionário semi-estruturado pelos profissionais de saúde da UTIN. Resultados: A amostra foi composta por 31 profissionais. Destes, 64,5% afirmam saber o que é mobilização precoce, sendo que a maioria relacionou sua definição à atividade motora; 83% acredita haver benefícios. Em relação à segurança, 77,4% considera segura a aplicação da mobilização precoce, porém 90% acredita que podem ocorrer eventos adversos, sendo mais citados: perda de dispositivos e descompensação hemodinâmica. A maioria dos profissionais descreveu que não deve ser realizada a mobilização precoce a depender da cirurgia e em instabilidade hemodinâmica. Aproximadamente 71% afirmaram não ter recebido treinamento para a prática de mobilização precoce. Conclusão: Observou-se necessidade de treinamento da equipe sobre a temática e a instituição de protocolos institucionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Choong K, Canci F, Clark H, Hopkins R, Kudchadkar S, Lati J, et al. Practice Recommendations for Early Mobilization in Critically Ill Children. J Pediatr Intensive Care. 2018;07(1):14–26. https://doi.org/10.1055/s-0037-1601424

Fan E. Critical illness neuromyopathy and the role of physical therapy and rehabilitation in critically ill patients. Respir Care. 2012;57(6):933-46. https://doi.org/10.4187/respcare.01634

Parry SM, Puthucheary ZA. The impact of extended bed rest on the musculoskeletal system in the critical care environment. Extrem Physiol Med. 2015;4:16. https://doi.org/10.1186/s13728-015-0036-7

Cuello-Garcia CA, Mai SHC, Simpson R, Al-Harbi S, Choong K. Early mobilization in critically ill children: A systematic review. J Pediatr. 2018;203:25-33.e6. https://doi.org/10.1016/j.jpeds.2018.07.037

Koo KKY, Choong K, Cook DJ, Herridge M, Newman A, Lo V, et al. Early mobilization of critically ill adults: a survey of knowledge, perceptions, and practices of Canadian physicians and physiotherapists. CMAJ Open. 2016;4(3):E448–54. https://doi.org/10.9778/cmajo.20160021

Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa: Persona; 1977.

Choong K, Foster G, Fraser DD, Hutchison JS, Joffe AR, Jouvet PA, et al. Acute rehabilitation practices in critically ill children: A multicenter study. Pediatr Crit Care Med. 2014;15(6):e270-9. https://doi.org/10.1097/pcc.0000000000000160

Wieczorek B, Ascenzi J, Kim Y, Otr L, Lenker H, Star C, et al. PICU Up!: Impact of a Quality Improvement Intervention to Promote Early Mobilization in Critically Ill Children. Pediatr Crit Care Med. 2017;17(12):e559-66. https://doi.org/10.1097/pcc.0000000000000983

Byrne E, Garber J. Physical therapy intervention in the neonatal intensive care unit. Phys Occup Ther Pediatr. 2013;33(1):75–110. https://doi.org/10.3109/01942638.2012.750870

Piva TC, Ferrari RS, Schaan CW. Early mobilization protocols for critically ill pediatric patients: Systematic review. Rev Bras Ter Intensiva. 2019;31(2):248–57. https://doi.org/10.5935/0103-507x.20190038

Almohalha L, Guerra RMR. Identification of the preterm neurobehavioral signs by the staff in Neonatal Intensive Care Unit (NICU). Rev. Ter. Ocup. Univ. 2011;22(2):117–26. https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v22i2p117-126

Miranda WADS, Veras DS, Ataíde DS, Silva ABM, Queiroz AS, Aquino IF, et al. Os benefícios da mobilização precoce em crianças internadas em Unidade de Terapia Intensiva: Uma Revisão Integrativa de Literatura (RIL). Int. J. Dev. Res. 2020;10(12):42575-80. https://doi.org/10.37118/ijdr.20493.12.2020

Cameron EC, Maehle V, Reid J. The effects of early physical therapy intervention for very preterm, very low birth weight infants: A randomized controlled clinical trial. Pediatr Phys Ther. 2005;17(2):107–19. https://doi.org/10.1097/01.pep.0000163073.50852.58

Witmer CM, Takemoto CM. Pediatric hospital-acquired venous thromboembolism. Front Pediatr. 2017;5:198. https://doi.org/10.3389/fped.2017.00198

Panceri C, Pereira KRG, Valentini NC, Sikilero RHAS. The influence of hospitalization on motor development of infants admitted to Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Revista HCPA [Internet]. 2012;32(2):161-8. Available from: https://seer.ufrgs.br/hcpa/article/view/25819

Zheng K, Sarti A, Boles S, Cameron S, Carlisi R, Clark H, et al. Impressions of early mobilization of critically ill children—clinician, patient, and family perspectives. Pediatr Crit Care Med. 2018;19(7):e350–7. https://doi.org/10.1097/pcc.0000000000001547

Ministério da Saúde (Brasil), Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Atenção humanizada ao recém-nascido: Método Canguru: manual técnico [Internet]. 3a. ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2017. Available from: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_humanizada_metodo_canguru_manual_3ed.pdf

Publicado

2021-10-20

Como Citar

Deitos, M. V., Lina Dias Andrade, A., & do Nascimento Andrade, A. (2021). Entendimento da equipe multiprofissional sobre a mobilização precoce e a segurança da sua aplicação em neonatos no pós-operatório. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 11(4), 691–701. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v11i4.4082

Edição

Seção

Artigos Originais