Reprodutibilidade intraobservador do teste Timed Up and Go para pacientes com DPOC

Autores

  • Henrique da Conceição Costa Universidade do Estado da Bahia. Salvador, Bahia, Brasil.
  • Barbara Silva dos Santos Universidade do Estado da Bahia. Salvador, Bahia, Brasil.
  • Natasha Cordeiro dos Santos Universidade do Estado da Bahia. Salvador, Bahia, Brasil.
  • Taís Santana Barbosa Universidade do Estado da Bahia. Salvador, Bahia, Brasil.
  • Aline Gonçalves Miranda Universidade do Estado da Bahia. Salvador, Bahia, Brasil.
  • Aquiles Assunção Camelier Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
  • Fernanda Warken Rosa Camelier Universidade do Estado da Bahia. Salvador, Bahia, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v11i3.3998

Palavras-chave:

Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica. Reprodutibilidade dos Testes. Assistência Ambulatorial. Fisioterapia. Confiabilidade dos dados.

Resumo

INTRODUÇÃO: O Timed UP and Go Test (TUG) é um importante teste utilizado para a avaliação de desfechos funcionais na DPOC, como mobilidade, equilíbrio dinâmico e risco de queda. No cenário clínico prático, a aplicação repetida do TUG é realizada muitas vezes pelo mesmo observador, no objetivo de avaliar diversas intervenções aplicadas na DPOC. OBJETIVO: Avaliar o grau de reprodutibilidade intraobservador do TUG em indivíduos com DPOC. METODOLOGIA: Estudo descritivo, de corte transversal, realizado com indivíduos com DPOC, atendidos ambulatorialmente na cidade de Salvador-Bahia. Foram verificadas características sociodemográficas e clínicas como a espirometria (VEF1/CVF), e tempo de realização de duas práticas no mesmo dia do teste TUG. A reprodutibilidade do TUG foi avaliada pelo Coeficiente de Correlação Intraclasse (CCI), CAAE número 38143214.0.0000.0057. RESULTADOS: Trinta e um pacientes voluntários foram avaliados; destes, 24 (77,4%) homens, média da idade de 68,6 ± 9,8 anos, com relação VEF1/CVF pós-broncodilatador de 59,0 ± 10,8 %. Na análise da reprodutibilidade intraobservador do TUG pelo CCI, obteve-se ? = 0,897 (CI 95%: 0,786; 0,950; p < 0,0001). CONCLUSÃO: O teste TUG possui excelente reprodutibilidade intraobservador e uma pequena variabilidade quando aplicados duas vezes em pacientes com DPOC, sendo a aplicação para avaliação da mobilidade, na prática do cuidado em saúde considerada factível.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Henrique da Conceição Costa, Universidade do Estado da Bahia. Salvador, Bahia, Brasil.

ORCID: https://orcid.org/0000-0001-8747-6631

Barbara Silva dos Santos, Universidade do Estado da Bahia. Salvador, Bahia, Brasil.

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-4929-3778

Natasha Cordeiro dos Santos, Universidade do Estado da Bahia. Salvador, Bahia, Brasil.

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-3062-0126

Taís Santana Barbosa, Universidade do Estado da Bahia. Salvador, Bahia, Brasil.

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-3951-5146

Aline Gonçalves Miranda, Universidade do Estado da Bahia. Salvador, Bahia, Brasil.

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-3460-5505

Aquiles Assunção Camelier, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública

ORCID: https://orcid.org/0000-0001-5410-5180

Fernanda Warken Rosa Camelier, Universidade do Estado da Bahia. Salvador, Bahia, Brasil.

ORCID: https://orcid.org/0000-0003-2540-0142

Publicado

2021-08-27

Como Citar

Costa, H. da C., dos Santos, B. S., dos Santos, N. C., Barbosa, T. S., Miranda, A. G., Camelier, A. A., & Camelier, F. W. R. (2021). Reprodutibilidade intraobservador do teste Timed Up and Go para pacientes com DPOC. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 11(3), 536–543. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v11i3.3998

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)