Funcionalidade de uma criança com paralisia cerebral bilateral submetida a cirurgia multinível: relato de caso

Autores

  • Renata Martins Rosa Student of Physical Therapy School, Researcher collaborator, Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Elisa de Jesus Valenzuela Physical Therapist, Master in Rehabilitation Sciences and Physical Functional Performance
  • Erica Cesario Defilipo Professor, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) – campus Governador Valadares, Governador Valadares, MG, Brazil
  • Paula Silva de Carvalho Chagas Professor, Graduate Program in Rehabilitation Sciences and Physical Functional Performance, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Juiz de Fora, MG, Brazil

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v11i4.3851

Palavras-chave:

Cerebral Palsy. Multilevel Surgery. Functioning. Case report. Physiotherapy.

Resumo

INTRODUÇÃO: Intervenções em diferentes articulações podem ser necessárias para corrigir a marcha agachada e outras alterações musculoesqueléticas que ocorrem com o passar do tempo em crianças com Paralisia Cerebral (PC). A cirurgia multinível reduz o número de hospitalizações, contribui para a prevenção de deficiências secundárias e melhora a capacidade de locomoção de crianças com diplegia. OBJETIVO: Documentar as mudanças na mobilidade de uma criança com PC bilateral, do tipo diplégica, após cirurgia multinível de membros inferiores na realidade brasileira. MATERIAIS E MÉTODOS: A participante foi uma menina de 8 anos, Gross Motor Function Classification System nível III. A mãe assinou o termo de consentimento livre e esclarecido. O Gross Motor Function Measure-66 (GMFM-66) foi realizado um dia antes da cirurgia e um, três, seis e doze meses após a cirurgia. Para completar os registros da evolução da criança, foram obtidas informações adicionais por meio do sistema eletrônico do hospital. RESULTADOS: O escore total do GMFM-66 foi: 49,6 pré-operatório (IC95%: 47,3-51,9); 42,8 após um mês (IC95%: 40,7-45,0); 49,9 após três meses (IC95%: 47,6-52,1); 52,6 após seis meses (IC95%: 50,2-55,0) e 56,9 após um ano (IC95%: 54,6-59,2), aumentando após seis meses da cirurgia (*p<0,05). A participante apresentou adesão satisfatória à fisioterapia. CONCLUSÃO: Estudo de caso de criança brasileira com PC, usando o sistema único de saúde. O impacto da cirurgia multinível foi predominante na mobilidade, com piora da capacidade logo após a cirurgia e melhora progressiva ao longo dos meses. Os fatores que podem ter contribuído para nossos resultados foram adesão, frequência, fatores contextuais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2021-08-02

Como Citar

Rosa, R. M., Valenzuela, E. de J., Defilipo, E. C., & Chagas, P. S. de C. (2021). Funcionalidade de uma criança com paralisia cerebral bilateral submetida a cirurgia multinível: relato de caso. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 11(4). https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v11i4.3851

Edição

Seção

Relatos de Caso