Hipertensão arterial sistêmica (HAS) e comorbidade em idosos: um estudo transversal

Beatriz Santos Miranda, Kionna Oliveira Bernardes, Diana Oliveira Noronha dos Santos, Cléber Luz Santos

Resumo


INTRODUÇÃO: Mecanismos fisiológicos do envelhecimento estão associados ao surgimento da hipertensão arterial sistêmica (HAS) em idosos. As repercussões sistêmicas da HAS favorecem o surgimento de doenças cardiovasculares, neurológicas e endócrinas em idosos. Contudo, a associação da HAS com o maior número de doenças em idosos e consumo de medicamentos ainda precisa de respaldo científico. OBJETIVO: Verificar a quantidade de doenças diagnosticadas em idosos hipertensos e não hipertensos. MÉTODOS: Estudo transversal de dados secundários dos prontuários de idosos com cadastro ativo no Centro de Referência Estadual de Atenção à Saúde do Idoso (CREASI) em Salvador, Bahia no período de setembro de 2018 até julho de 2019. Dos 3.158 prontuários, foram identificados 2.122 idosos com diagnóstico de HAS. A coleta foi realizada por 13 pesquisadores assistentes que capturam os dados da primeira avaliação. Os dados foram analisados descritivamente com suas medidas de tendência central e de dispersão. RESULTADO: Idosos hipertensos apresentaram maior faixa etária e maior consumo de medicamento, mas o impacto da funcionalidade foi afetado no aumento do risco de quedas nestes indivíduos. CONCLUSÃO: A HAS está associada ao maior número de doenças cardiovasculares, neurológicas e endócrinas, ocasionado repercussões na vida deste idoso como maior consumo de medicamento e aumento do risco de quedas.

Palavras-chave


Hipertensão Arterial Sistêmica. Idosos. Comorbidade.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v10i4.3229

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Beatriz Santos Miranda, Kionna Oliveira Bernardes, Diana Oliveira Noronha dos Santos, Cléber Luz Santos

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

A RPF foi indexada e/ou catalogada nas seguintes bases de dados:

                                                  

 

Revista Pesquisa em Fisioterapia | ISSN: 2238-2704

Site atualizado em 28/02/2018

Licença Creative Commons