Confiabilidade e validade concorrente da escala de mobilidade hospitalar em pacientes após acidente vascular cerebral

Autores

  • Iara Maso 1. Grupo de Pesquisa Comportamento Motor e Reabilitação Neurofuncional, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Salvador-BA, Brasil. 2. Unidade de AVC do Hospital Geral Roberto Santos, Salvador-BA, Brasil.
  • Laísa Mascarenhas Grupo de Pesquisa Comportamento Motor e Reabilitação Neurofuncional, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Salvador-Bahia, Brasil.
  • Marina Makhoul Grupo de Pesquisa Comportamento Motor e Reabilitação Neurofuncional, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Salvador-Bahia, Brasil.
  • Lara Vasconcelos Grupo de Pesquisa Comportamento Motor e Reabilitação Neurofuncional, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Salvador-Bahia, Brasil.
  • Maiana Monteiro Grupo de Pesquisa Comportamento Motor e Reabilitação Neurofuncional, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Salvador-Bahia, Brasil.
  • Pedro Jesus Unidade de AVC do Hospital Geral Roberto Santos, Salvador-Bahia, Brasil.
  • Jamary Oliveira Filho Universidade Federal da Bahia, Salvador-Bahia, Brazil.
  • Elen Beatriz Carneiro Pinto Grupo de Pesquisa Comportamento Motor e Reabilitação Neurofuncional, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Salvador-Bahia, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v10i3.3199

Palavras-chave:

Acidente vascular cerebral. Mobilização precoce. Confiabilidade. Estudos de validação.

Resumo

INTRODUÇÃO: A Escala de Mobilidade Hospitalar (EMH) avalia de forma específica a mobilidade de pacientes após AVC no ambiente hospitalar e em estudo prévio foi demonstrada a sua concordância interexaminadores, validade preditiva e a responsividade a mudanças na fase aguda. OBJETIVO: avaliar a validade concorrente da EMH e a sua confiabilidade ao ser aplicada através de entrevista. MATERIAIS E MÉTODOS: Trata-se de um estudo de validação, desenvolvido com pacientes internados em uma Unidade de AVC na cidade de Salvador-Bahia. Para avaliar a validade concorrente da EMH comparamos o seu escore com a pontuação da Escala de Rankin modificada utilizando o teste de Spearman. Ambas escalas foram aplicadas no quinto dia após o AVC pelo mesmo pesquisador, previamente treinado. Para avaliação da confiabilidade da EMH quando aplicada através de entrevista, a escala foi aplicada por dois examinadores em turnos diferentes, no mesmo dia. O primeiro examinador aplicou a escala através da observação do desempenho e o segundo examinador através de entrevista. Utilizamos para esta análise o Coeficiente de Correlação Intraclasse (CCI). RESULTADOS:  A pontuação total da EMH apresentou uma correlação positiva muito forte com a ERm (r=0,90) e também foi encontrada uma correlação significativa entre os subitens da EMH e a ERm.  Ao comparar a aplicação da EMH através da observação do desempenho e aplicação por entrevista, observamos uma excelente concordância interexaminadores (CCI > 0,90). CONCLUSÃO: A Escala de Mobilidade Hospitalar, projetada especificamente para pacientes após AVC, mostrou um alto grau de validade concorrente e se mostrou confiável quando aplicada através de entrevista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laísa Mascarenhas, Grupo de Pesquisa Comportamento Motor e Reabilitação Neurofuncional, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Salvador-Bahia, Brasil.

Marina Makhoul, Grupo de Pesquisa Comportamento Motor e Reabilitação Neurofuncional, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Salvador-Bahia, Brasil.

Lara Vasconcelos, Grupo de Pesquisa Comportamento Motor e Reabilitação Neurofuncional, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Salvador-Bahia, Brasil.

Maiana Monteiro, Grupo de Pesquisa Comportamento Motor e Reabilitação Neurofuncional, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Salvador-Bahia, Brasil.

Pedro Jesus, Unidade de AVC do Hospital Geral Roberto Santos, Salvador-Bahia, Brasil.

Jamary Oliveira Filho, Universidade Federal da Bahia, Salvador-Bahia, Brazil.

Elen Beatriz Carneiro Pinto, Grupo de Pesquisa Comportamento Motor e Reabilitação Neurofuncional, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Salvador-Bahia, Brasil.

Publicado

2020-08-21

Como Citar

Maso, I., Mascarenhas, L., Makhoul, M., Vasconcelos, L., Monteiro, M., Jesus, P., Oliveira Filho, J., & Pinto, E. B. C. (2020). Confiabilidade e validade concorrente da escala de mobilidade hospitalar em pacientes após acidente vascular cerebral. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 10(3), 505–511. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v10i3.3199

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)