Comparação da força muscular e flexibilidade entre praticantes de Pilates e musculação

Altair Argentino Pereira Junior, Andréia da Silva

Resumo


INTRODUÇÃO: Nos últimos anos, tem aumentado o número de estudos preocupados em investigar a relação entre a disfunção do músculo transverso do abdome e a história de dor lombar, assim como a deficiência na flexibilidade. OBJETIVO: comparar a força muscular do transverso do abdome e flexibilidade das praticantes do método Pilates e musculação. MÉTODO: Participaram do estudo 20 voluntárias do sexo feminino divididas em 2 grupos de 10 voluntárias, com no mínimo 6 meses de atividade em Pilates ou musculação. A força muscular do transverso do abdome foi avaliada pelo teste esfigmomanômetro modificado (TEM) e a flexibilidade pelo teste de sentar-alcançar (TSA). Foi utilizado a análise estatística descritiva para os dados coletados, sendo os valores expressos através da média e desvio padrão, bem como aplicabilidade do teste T de student (p<0,05). RESULTADOS:  Foi verificado valores significativos de (p< 0,05) sendo superior para a força muscular do transverso do abdome do grupo Pilates quando comparado ao grupo musculação. Entretanto para o teste de flexibilidade, não foi encontrado diferenças estatísticas significativas entre os dois grupos. CONCLUSÃO: Foi possível observar que as praticantes do método Pilates obtiveram um melhor desempenho da musculatura do transverso do abdome e flexibilidade em comparação ao grupo musculação. O fortalecimento do músculo transverso do abdome bem como a flexibilidade torna-se uma medida corretiva e preventiva para redução e prevenção das algias e lesões lombares.


Palavras-chave


Força muscular. Flexibilidade. Modalidades de Fisioterapia.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v10i3.3144

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Altair Argentino Pereira Junior, Andréia da Silva

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

A RPF foi indexada e/ou catalogada nas seguintes bases de dados:

                                                  

 

Revista Pesquisa em Fisioterapia | ISSN: 2238-2704

Site atualizado em 28/02/2018

Licença Creative Commons