Auriculoterapia no tratamento da obesidade: uma revisão sistemática

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v10i3.2867

Palavras-chave:

Obesidade. Auriculoterapia. Terapias Complementares.

Resumo

INTRODUÇÃO: A obesidade pode ocasionar a morte prematura dos individuos acometidos por esta disfunção. Na tentativa de amenizar as desordens dessa doença, a auriculoterapia surge como um tratamento que visa promover a perda de peso e melhor qualidade de vida. OBJETIVO: Identificar a eficácia da auriculoterapia no controle do peso de indivíduos obesos. METODOLOGIA: Realizou-se uma revisão sistemática segundo as recomendações PRISMA, nos bancos de dados PubMed, Lilacs, Scielo e PEDro, no periodo de julho a outubro de 2016, com descritores Obesity e auriculotherapy. Foram incluídos Ensaios Clínicos Controlados publicados até 2015, em português, inglês e espanhol, e contendo as palavras chaves no título ou resumo. Na análise foram considerados como desfecho primário: Índice de Massa Corporal e peso corporal, e desfecho secundário: circunferência da cintura e leptina. RESULTADOS: No total foram incluídos cinco estudo. Desses, quatro artigos estudaram o efeito da auriculoterapia na obesidade e apresentaram redução estatisticamente significante nos grupos de intervenção, assim como nos dois estudos que avaliaram o peso corporal. Dois estudos analisaram a circunferência da cintura e apresentaram decréscimo estatisticamente significativo para o grupo de intervenção, já nos três estudos que avaliaram a leptina, em dois houve redução ao final do tratamento, sendo que no terceiro não houve diferença em nenhum dos grupos. CONCLUSÃO: A auriculoterapia associada a dieta pode ser eficaz no controle do peso de paciente obesos, assim como nas medidas antropometricas e nos níveis de leptina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2020-07-23

Como Citar

de Freitas, L. C. S., Sousa, P. H. C. de, & Coutinho, B. D. (2020). Auriculoterapia no tratamento da obesidade: uma revisão sistemática. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 10(3), 553–565. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v10i3.2867

Edição

Seção

Revisões de Literatura