Correlação entre dois testes e a pontuação do Child Health Assessment Questionnaire em crianças com cardiopatia reumática

Autores

  • Fernanda Souza Gonçalves Fisioterapeuta do Hospital Martagão Gesteira
  • Suzana Souza Moreira de Almeida Fisioterapeuta do Hospital Ana Nery e Martagão Gesteira
  • Juliana Costa Santos Fisioterapeuta Professora Assistente na Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública e Universidade Federal da Bahia
  • Carlos Maurício Cardeal Mendes Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v10i2.2832

Palavras-chave:

Febre reumática. Teste de esforço. Atividade.

Resumo

INTRODUÇÃO: As crianças que evoluem para cardiopatia reumática passam a conviver com limitações, tornam-se comumente restritas no desempenho de atividade do cotidiano. OBJETIVO Verificar a existência de correlação entre o desempenho no teste de caminhada de seis minutos (TC6M) e do degrau de três minutos (TD3) e a pontuação do  child health assessment questionnaire (CHAQ) em criança com febre reumática. MÉTODOS: Estudo seccional sem grupo de comparação, descritivo e exploratório, realizado com 15 crianças. Foram avaliadas através dos testes submáximos, o TC6M e o TD3 e a avaliação da capacidade física sob a percepção do cuidador foi realizada por meio da aplicação do  CHAQ . RESULTADOS: A média de idade 13,7 anos, desvio padrão 1,9 anos. A maioria dos acompanhantes eram mães, 66,7%, e uma parcela considerável dos cuidadores apresentou baixo nível socioeconômico e de escolaridade. O valor obtido na distância percorrida através do TC6M demonstrou um baixo desempenho, mediana (intervalo interquartil) 420 (101) metros que também foi observado no teste do degrau de três minutos, mediana (intervalo interquartil) 68 (6,5) degraus. Em relação ao questionário CHAQ foi observado ausência de comprometimento da capacidade física diante da percepção dos responsáveis com escore final do questionário de 0,1. A correlação entre o questionário e o teste de caminhada de seis minutos (correlação de Sperman = - 0,21) e, entre o questionário e o teste do degrau de três minutos, (correlação de Sperman = - 0,39). CONCLUSÃO: Não foi encontrada correlação dos testes submáximos, em relação à capacidade física obtida através da percepção dos responsáveis avaliada através do questionário. Esse resultado chama a atenção para a importância do fisioterapeuta inserir na sua prática clínica, nesse perfil de pacientes os testes submáximos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Costa Santos, Fisioterapeuta Professora Assistente na Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública e Universidade Federal da Bahia

  • Fisioterapeuta, 
  • Professora assistente  Escola Bahiana de MedicinaSaúde Pública
  • Professora assistente  Universidade Federal da Bahia.

Carlos Maurício Cardeal Mendes, Universidade Federal da Bahia

Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) (1984), especialização em Saúde Pública pela ENSP/UFBA (1987), especialização em Estatística Aplicada pelo Departamento de Estatística do Instituto de Matemática da UFBA (1995) e doutorado em Saúde Coletiva com área de concentração em Epidemiologia pelo Instituto de Saúde Coletiva (UFBA) (2002). Médico pela Universidade Federal da Bahia, consultor Ad Hoc da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia, professor permanente e membro do Colegiado do Programa de Pós-Graduação em Processos Interativos dos Órgãos e Sistemas/Instituto de Ciências da Saúde (ICS)/UFBA

Publicado

2020-05-27

Como Citar

Gonçalves, F. S., Moreira de Almeida, S. S., Santos, J. C., & Mendes, C. M. C. (2020). Correlação entre dois testes e a pontuação do Child Health Assessment Questionnaire em crianças com cardiopatia reumática. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 10(2), 203–211. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v10i2.2832

Edição

Seção

Artigos Originais