Recursos fisioterapêuticos nos desvios posturais da coluna vertebral: uma revisão integrativa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v10i2.2829

Palavras-chave:

Escoliose. Fisioterapia. Tratamento.

Resumo

INTRODUÇÃO: Este estudo vai averiguar quais são as possibilidades de tratamento descritas na literatura para a escoliose, definida como curva lateral na coluna vertebral, apresentando uma leve rotação das vértebras. OBJETIVO: Identificar na literatura atual as principais técnicas fisioterapêuticas e seus benefícios para o tratamento da escoliose. MÉTODOS: Trata-se de uma revisão integrativa da literatura sobre os métodos fisioterapêuticos no tratamento da escoliose. Foram selecionados para esta revisão artigos publicados de 2009 a outubro de 2019 nas bases de dados eletrônicas Medline, Lilacs e SciELO, apenas artigos com tradução para o português foram considerados para esta revisão. RESULTADOS: Após a análise foram selecionados para esta revisão sete artigos para leitura na íntegra. Foram identificadas as seguintes condutas: técnica de pilates, reeducação postural global (RPG), isostretching, método klapp e cinesioterapia. Com os seguintes benefícios: melhora na postura, alinhamento da coluna vertebral torácica, melhora da flexibilidade, melhora da assimetria do tronco, diminuição da intensidade da dor, redução da curva escoliótica, melhora postural no alinhamento de cabeça, ombros, escápulas, ângulo de Talles, tronco, abdômen e pelve, aumento da força dos músculos flexores e extensores de tronco e redução do ângulo de Cobb da escoliose. CONCLUSÃO: Existem diversos métodos da fisioterapia com benéficos para o tratamento da escoliose, destacando o RPG e o pilates para a melhora da força, flexibilidade, dor e redução da curva escoliótica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2020-05-15

Como Citar

Freitas, M. G., de Medeiros, S. M. L., & Câmara, G. L. G. (2020). Recursos fisioterapêuticos nos desvios posturais da coluna vertebral: uma revisão integrativa. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 10(2), 355–364. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v10i2.2829

Edição

Seção

Revisões de Literatura