Força muscular, funcionalidade e distância percorrida em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica

Autores

  • Luciano Xavier Gomes UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE
  • David Santos
  • Débora Santos
  • Gabriel Souza
  • Vitória Cruz
  • Yago Lima
  • Carlos Matos

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v10i2.2828

Palavras-chave:

Doença pulmonar obstrutiva crônica. Força muscular. Teste de Caminhada. Morbidade. Qualidade de vida.

Resumo

INTRODUÇÃO: O status funcional do indivíduo com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), considerado um indicador preditivo de agravo do quadro clínico e qualidade de vida dessa população. OBJETIVO: Analisar a força muscular, morbidade, qualidade de vida e distância percorrida em pacientes com DPOC e comparar com o grupo não DPOC. MÉTODOS: Foram avaliados 58 voluntários, 29 do grupo DPOC, classificados em GOLD II e 29 o grupo não DPOC, com os seguintes parâmetros mensurados: função pulmonar; variáveis antropométricas; força muscular; morbidade mediante o índice Body mass index, airway Obstruction, Dyspnea, and Exercise capacity (BODE); qualidade de vida com o questionário do Saint George's Respiratory Questionnaire (SGRQ); capacidade pulmonar através da distância percorrida no teste de caminhada de seis minutos.  Para análise estatística, realizado o teste de Shapiro Wilk e os testes de Mann-Whitney ou t de Student, assim como o teste de correlação de Pearson, para valores de p < 0,05. RESULTADOS: A idade média total foi de 61±7 anos, a força de extensores de joelho (p:0,0004), com valores de força menores para o grupo DPOC 110,61±41,69; em comparação com do grupo não DPOC 156,31±44,09, destaca-se ainda a força de flexores de cotovelo (p 0,004), com 96,34±26,15 para grupo DPOC, em comparação ao grupo não DPOC 118,19±34,71. Na distância percorrida do TC6M o grupo DPOC percorreu uma média de 274± 107,86 e o grupo não DPOC 384,98±100,47 (p<0,05). O BODE apresentou correlação de (r = -0,79) com a distância percorrida no TC6M e de (r =0,72) com o Saint George total. CONCLUSÕES: Os pacientes com DPOC apresentaram redução da força muscular de membros superiores, extensores de joelho e da distância percorrida, ao comparar com o grupo não DPOC.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2020-05-19

Como Citar

Gomes, L. X., Santos, D., Santos, D., Souza, G., Cruz, V., Lima, Y., & Matos, C. (2020). Força muscular, funcionalidade e distância percorrida em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 10(2), 195–202. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v10i2.2828

Edição

Seção

Artigos Originais