Treinamento muscular ventilatório em pacientes tetraplégicos pós lesão medular traumática: revisão integrativa

Autores

  • Bruno Souza de Matos Centro Universitário Jorge Amado http://orcid.org/0000-0003-2880-7159
  • Andressa Santana Montino de Melo Departamento de Fisioterapia, Centro Universitário Jorge Amado
  • Tatiana Maita Alves Conceição Departamento de Fisioterapia, Centro Universitário Jorge Amado

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v10i2.2809

Palavras-chave:

Exercícios respiratórios. Traumatismos da medula espinal. Quadriplegia.

Resumo

INTRODUÇÃO: O Trauma Raquimedular é uma condição clínica incapacitante que pode desencadear a tetraplegia, descrita como paralisia parcial ou completa do tronco, músculos respiratórios e membros, favorecendo o surgimento de complicações, principalmente de caráter respiratório. Diante disso, o Fisioterapeuta pode fazer utilizar treinamento muscular ventilatório(TMV) objetivando aumentar a força e resistência à fadiga dos músculos ventilatórios, além de prevenir complicações respiratórias. OBJETIVO: Descrever quais os dispositivos, protocolos e técnicas mais utilizadas para treinamento muscular ventilatório e os efeitos associados em indivíduos tetraplégicos pós trauma raquimedular. METODOLOGIA: Foi realizado levantamento bibliográfico entre novembro de 2019 e fevereiro de 2020, nas bases de dados Medline, LILACS e SciELO utilizando as palavras-chave: Breathing Exercises, Spinal Cord Injuries, Quadriplegia e os sinônimos utilizando os operadores booleanos  “AND” e “OR”. RESULTADOS: Após consulta nas bases de dados, foram encontrados 3334 artigos, 36 foram selecionados para leitura de resumo, sucedendo que 23 foram excluídos por não atender aos critérios de seleção, restando 13 artigos para a leitura integral, resultando na seleção final de 13 artigos. CONCLUSÃO: Fica evidenciado que protocolos para TMV através de resistores lineares são os mais utilizados tetraplégicos. Além disso, execução de protocolos com resistores lineares a inspiração, empregando intensidade em torno de 30-60% da PImax, apresentou efeitos significativos em PImax. No entanto, percebeu-se que há muitas discordâncias quanto as variáveis de treinamento, principalmente intensidade e número de séries propostos. Contudo, é notório que a utilização do TMV em tetraplégicos apresenta certas divergências, principalmente relacionado a escolha das técnicas e/ou dispositivos adequados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno Souza de Matos, Centro Universitário Jorge Amado

ORCID 0000-0003-2880-7159

Andressa Santana Montino de Melo, Departamento de Fisioterapia, Centro Universitário Jorge Amado

ORCID 0000-0002-4872-9410

Tatiana Maita Alves Conceição, Departamento de Fisioterapia, Centro Universitário Jorge Amado

ORCID 0000-0001-6250-6478

Publicado

2020-05-15

Como Citar

Souza de Matos, B., Santana Montino de Melo, A., & Alves Conceição, T. M. (2020). Treinamento muscular ventilatório em pacientes tetraplégicos pós lesão medular traumática: revisão integrativa. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 10(2), 334–345. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v10i2.2809

Edição

Seção

Revisões de Literatura