Aplicabilidade da mobilização precoce na prevenção de Trombose Venosa Profunda em ambiente hospitalar: Uma Revisão Sistemática

Autores

  • Alessandra Gasparello Viviani
  • Matheus Pereira Nunes da Silva
  • Andréa Oliver Gomes
  • Carolina Araujo Molina

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v9i3.2448

Palavras-chave:

Deambulação Precoce. Fisioterapia. Trombose Venosa Profunda. Ambiente Hospitalar.

Resumo

INTRODUÇÃO: A Trombose Venosa consiste em um trombo que leva a obstrução ao fluxo sanguíneo. Desencadeada por lesão endotelial, estase sanguínea e/ou hipercoagulabilidade. Sendo que muitos dos fatores que levam ao desencadeamento destes quadros, são a imobilidade, paralisia e algumas doenças respiratórias. Portanto, a profilaxia da TVP é considerada uma intervenção eficaz e segura, mas por muitas vezes não é utilizada rotineiramente nos ambientes hospitalares. OBJETIVO: Verificar a utilização da mobilização precoce como profilaxia da trombose venosa profunda em ambientes hospitalares. MÉTODO: O estudo consiste em uma Revisão Sistemática realizada com buscas em periódicos, revistas e artigos entre o ano de 2005 a 2018 encontrados em bases de dados eletrônicos, sendo elas Pubmed, Scielo, PEDro, Lilacs, Cochrane, Medline, ResearchGate. Incluindo pacientes de ambos os gêneros com idade superior a 18 anos. RESULTADOS: Foram obtidos para análise 26 artigos, dos quais 14 foram excluídos por não estarem de acordo com os critérios de inclusão. Do total de 3005 pacientes, 1828 não receberam profilaxia fisioterapêutica e 1220 receberam. CONCLUSÃO: A mobilização precoce em ambientes hospitalares subutilizada e seus benefícios pouco conhecidos, aumentando o número de incidentes relacionados a TVP.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2019-08-16

Como Citar

Viviani, A. G., Nunes da Silva, M. P., Gomes, A. O., & Molina, C. A. (2019). Aplicabilidade da mobilização precoce na prevenção de Trombose Venosa Profunda em ambiente hospitalar: Uma Revisão Sistemática. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 9(3), 421–428. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v9i3.2448

Edição

Seção

Revisões de Literatura