Associação do desempenho físico no teste Timed Up and Go com autorrelato de quedas em idosos hospitalizados

Autores

  • Bruno Prata Martinez Universidade Federal da Bahia(UFBA) e Universidade do Estado da Bahia(UNEB).
  • Wende Bonifacio Lopes Universidade do Estado da Bahia(UNEB).
  • Giovani Assunção de Azevedo Alves Universidade Católica do Salvador (UCSal) e Hospital Aliança
  • Luiz Alberto Forgiarini Júnior Programa de Pós-graduação em Reabilitação e Inclusão, e, Biociências e Reabilitação
  • Fernanda Warken Rosa Camelier Universidade do Estado da Bahia(UNEB)
  • Aquiles Assunção Camelier Universidade do Estado da Bahia(UNEB)

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v9i2.2252

Palavras-chave:

Saúde do idoso. Hospitalização. Limitação de mobilidade. Queda.

Resumo

INTRODUÇÃO: Episódios de quedas estão associados com redução da mobilidade e mortalidade e são mais comuns em idosos. O Timed up and Go (TUG) é um dos principais instrumentos para rastrear o risco de cair em idosos. OBJETIVO: Avaliar a associação do teste TUG para autorrelato de quedas no último ano em idosos hospitalizados. MATERIAIS E MÉTODOS: Estudo transversal realizado em um hospital privado da cidade de Salvador/BA, no período de Agosto de 2013 a Janeiro de 2014. Foram incluídos indivíduos de ambos os sexos, a partir do 1º ao 5º dia de internação. A acurácia do teste foi calculada pela curva ROC (Receiver Operator Characteristic) e análise dos valores de sensibilidade e especificidade. Os resultados foram dispostos em média e desvio padrão ou valor absoluto e percentual.  Foi considerado significativo um valor de p <0,05. RESULTADOS: Foram inclusos 68 idosos, com idade média 70,4 ± 7,7 anos, IMC = 25,66 ± 5,26 kg/m2, índice de Charlson 5,35 ± 1,97 e tempo médio de internação 2,76 ± 1,71 dias. O tempo médio de realização do TUG foi 10,02 ± 5,38 segundos. A acurácia do TUG foi considerada moderada (0,67; IC = 0,54 - 0,80; p=0,029). O ponto de corte de 9,2 segundos encontrado na curva ROC foi o ponto de maior associação com autorrelato de quedas com uma sensibilidade de 67,7% e especifidade 68,2%. CONCLUSÃO: O desempenho no TUG tem associação com autorrelato de quedas no último ano em idosos hospitalizados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno Prata Martinez, Universidade Federal da Bahia(UFBA) e Universidade do Estado da Bahia(UNEB).

Departamento de Fisioterapia.

Wende Bonifacio Lopes, Universidade do Estado da Bahia(UNEB).

Fisioterapia

Giovani Assunção de Azevedo Alves, Universidade Católica do Salvador (UCSal) e Hospital Aliança

Fisioterapia

Luiz Alberto Forgiarini Júnior, Programa de Pós-graduação em Reabilitação e Inclusão, e, Biociências e Reabilitação

Fisioterapia

Fernanda Warken Rosa Camelier, Universidade do Estado da Bahia(UNEB)

Fisioterapia

Aquiles Assunção Camelier, Universidade do Estado da Bahia(UNEB)

Medicina

Publicado

2019-05-28

Como Citar

Martinez, B. P., Lopes, W. B., Alves, G. A. de A., Júnior, L. A. F., Camelier, F. W. R., & Camelier, A. A. (2019). Associação do desempenho físico no teste Timed Up and Go com autorrelato de quedas em idosos hospitalizados. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 9(2), 159–165. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v9i2.2252

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2