Treinamento neuromuscular aquático com ênfase proprioceptiva: influência na potência mecânica muscular e na altura de salto

Autores

  • Maria Luiza Serradourada Wutzke
  • Gladson Ricardo Flor Bertolini Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste).
  • Alberito Rodrigo de Carvalho

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v8i4.2170

Palavras-chave:

Desempenho atlético. Força muscular. Hidroterapia.

Resumo

INTRODUÇÃO: Tarefas motoras treinadas em ambiente aquático parecem potencializar o sistema proprioceptivo. Porém, é necessário investigar o efeito do meio aquático no desempenho neuromuscular de atletas. OBJETIVO: Avaliar o efeito de uma intervenção por exercícios neuromusculares funcionais aquáticos, com ênfase no sistema sensorial proprioceptivo, nas variáveis altura do salto e potência muscular, tendo a acuidade proprioceptiva como covariável. METODOLOGIA: Amostra composta por 14 homens universitários praticantes de futsal e dividida em grupo controle (GC/n=7) e grupo intervenção (GI/n=7). As variáveis potência mecânica muscular e altura do salto foram avaliadas por meio do teste de salto vertical de 60 segundos. A acuidade proprioceptiva foi avaliada pelo senso de posição articular e pela cinestesia quantificados pelo teste de percepção de movimentos passivos lentos (Tpassivo) e pelo teste de senso de posição articular (Tativo). As variáveis de desfecho foram mensuradas em dois momentos: antes e após a intervenção. A intervenção aquática foi aplicada durante seis semanas com três sessões em cada semana. RESULTADOS: Não houve efeito de grupo e nem do momento da avaliação na altura do salto, sendo que o GC alcançou altura de salto de 19,9±0,8 cm em comparação com o GI chegando a altura de 20,3±1,4 cm.  Na potência mecânica muscular não houve efeito do momento, mas houve efeito do grupo, em que o GC apresentou potência de 366,2±17,6 W, enquanto GI apresentou 332,0±21,2 W, sendo menor que o GC. Nem o Tativo e nem o Tpassivo influenciaram a altura de salto e a potência mecânica muscular. CONCLUSÃO: A intervenção de exercícios neuromusculares aquáticos funcionais, com ênfase na propriocepção não afetou nem a potência muscular nem a altura do salto, este resultado não foi influenciado pela acuidade proprioceptiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gladson Ricardo Flor Bertolini, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste).

Laboratório de Estudo das Lesões e Recursos Fisioterapêuticos da Unioeste.

Publicado

2018-11-23

Como Citar

Wutzke, M. L. S., Bertolini, G. R. F., & Carvalho, A. R. de. (2018). Treinamento neuromuscular aquático com ênfase proprioceptiva: influência na potência mecânica muscular e na altura de salto. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 8(4), 528–534. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v8i4.2170

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)