Fatores de risco cardiovascular associados à hipertensão arterial sistêmica em escolares

Autores

  • Raoni Soares AG Fisioterapia LTDA
  • Larissa Santos Tosta Instituto Médico de Gestão Integrada. Multicentro de Saúde Carlos Gomes.
  • Luciana Ricarte Cavalcante Fundação Estadual de Saúde/Fundação Osvaldo Cruz.
  • André Sant'Anna Zarife Universidade Federal da Bahia
  • Luciara Leite Brito Universidade Federal da Bahia
  • Helena Fraga-Maia Universidade do Estado da Bahia (Salvador) http://orcid.org/0000-0002-2782-4910

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v8i4.2118

Palavras-chave:

Hipertensão Arterial Sistêmica. Fatores de risco cardiovascular. Ensino Fundamental. Obesidade. Atividade Física.

Resumo

INTRODUÇÃO: A análise conjunta dos hábitos de vida que podem predispor ao aparecimento de doenças cardiovasculares na idade adulta tem papel importante para o conhecimento do perfil de risco cardiovascular de crianças e adolescentes. OBJETIVO: Investigar hábitos alimentares inadequados e fatores de risco cardiovascular associados à Hipertensão Arterial Sistêmica em escolares de 7 a 14 anos de idade, domiciliados no Cabula/Beiru na cidade do Salvador, Bahia, Brasil. MÉTODOS: Estudo transversal com 162 escolares matriculados na rede pública do Ensino Fundamental I, residentes no Distrito Sanitário Cabula Beiru (DSCB), na cidade do Salvador, Bahia. Regressão logística multivariada, não-condicional, hierarquizada, foi usada para avaliar a associação, após ajustes por fatores sociodemográficos e de saúde, entre a HAS, hábitos alimentares inadequados e fatores de risco cardiovascular. RESULTADOS: A prevalência de hipertensão arterial entre os escolares foi estimada em 23,0% e o excesso de peso (OR=4,08; IC95% 1,75 – 9,55), assim como a inatividade física (< 300 min/semana) (OR=5,69; IC95% 1,56 – 20,69), consumo inadequado de doces (OR=2,65; IC95%: 1,01 – 7,00) e de refrigerantes (OR=3,61; IC95%: 1,28 – 10,13) foram os fatores  associados com pressão arterial elevada. CONCLUSÕES: Os dados evidenciam hábitos inadequados de alimentação e fatores de risco cardiovasculares, em especial, sobrepeso ou obesidade e ser insuficientemente ativo. Estes resultados reforçam a necessidade de programas de promoção de saúde e prevenção dos riscos direcionados à parcela mais jovem da população. Recomendamos a adoção de estratégias para o controle do peso e estímulo à prática regular de atividade física nas escolas, bem como ações de educação em saúde no Ensino Fundamental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raoni Soares, AG Fisioterapia LTDA

Fisioterapeuta. AG Fisioterapia LTDA.

Larissa Santos Tosta, Instituto Médico de Gestão Integrada. Multicentro de Saúde Carlos Gomes.

Fisioterapeuta. Instituto Médico de Gestão Integrada. Multicentro de Saúde Carlos Gomes.

Luciana Ricarte Cavalcante, Fundação Estadual de Saúde/Fundação Osvaldo Cruz.

Fisioterapeuta. Residente do Programa de Residência em Saúde da Família (FESF-SUS/FIOCRUZ)

André Sant'Anna Zarife, Universidade Federal da Bahia

Médico do Hospital Universitário Prof. Edgard Santos. Universidade Federal da Bahia.

Luciara Leite Brito, Universidade Federal da Bahia

Nutricionista. Coordenadora do Curso de Nutrição da Universidade Federal da Bahia.F

Helena Fraga-Maia, Universidade do Estado da Bahia (Salvador)

Fisioterapeuta. Professora Titular da Universidade do Estado da Bahia e Pesquisadora Colaboradora do ELSA-Brasil da Universidade Federal da Bahia.

Publicado

2018-11-14

Como Citar

Soares, R., Tosta, L. S., Cavalcante, L. R., Zarife, A. S., Brito, L. L., & Fraga-Maia, H. (2018). Fatores de risco cardiovascular associados à hipertensão arterial sistêmica em escolares. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 8(4), 478–488. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v8i4.2118

Edição

Seção

Artigos Originais