Técnicas de higiene brônquica em recém-nascidos e lactentes na unidade de terapia intensiva: revisão sistemática de ensaios clínicos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v8i3.1958

Palavras-chave:

Fisioterapia. Lactente. Recém-nascido. Unidades de Terapia Intensiva.

Resumo

INTRODUÇÃO: A fisioterapia respiratória tem obtido um importante espaço e reconhecimento ao possibilitar resultados de grande eficácia no tratamento intensivo do recém-nascido (RN) e do lactente. Um dos importantes objetos de trabalho da fisioterapia na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal e pediátrica são as técnicas de higiene brônquica rotineiramente utilizadas, as quais apresentam grande variabilidade. OBJETIVO: Verificar as evidências científicas a respeito dos possíveis efeitos benéficos ou adversos, indicações e contraindicações das técnicas de higiene brônquica mais utilizadas no RN e no lactente na UTI. MATERIAIS E MÉTODOS: Trata-se de uma revisão sistemática, utilizando ensaios clínicos, sem delimitação temporal, baseada no protocolo PRISMA. Foram utilizadas as seguintes bases de dados: PubMed, LILACS, SciELO, PEDro e ScienceDirect. RESULTADOS: Foram identificados um total de 154 artigos, apenas 10 atenderam aos critérios de inclusão. Destes 5 (50%) associam tapotagem/percussão torácica, drenagem postural, aspiração de vias aéreas superiores e/ou traqueal e vibração e/ou vibrocompressão torácica manual; 1 (10%) associa drenagem, vibração e percussão; 1 (10%) associa vibrocompressão e aspiração nasotraqueal; 1 (10%) associa percussão e vibração torácica; 1 (10%) estudo utiliza a aspiração traqueal e 1 (10%) utiliza a vibrocompressão torácica manual. CONCLUSÃO: A maioria dos estudos encontrados não relataram contraindicações relevantes para impedir o uso de técnicas de higiene brônquica na UTI neonatal e pediátrica, entretanto, alguns resultados foram controversos quanto a sua correta e eficaz indicação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thayssa Costa de Oliveira, Universidade da Amazônia (UNAMA)

Graduanda no Curso de Bacharelado em Fisioterapia pela Universidade da Amazônia (UNAMA)

Giulia Soares Mousinho Moda, Universidade da Amazônia (UNAMA)

Graduada no Curso de Bacharelado em Fisioterapia pela Universidade da Amazônia (UNAMA)

Andressa Karoline Pinto de Lima Ribeiro, Universidade Federal do Pará (UFPA)

Fisioterapeuta residente do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde - Oncologia (HUJBB/UFPA); Graduada pela Universidade do Estado do Pará (UEPA)

Sara Elly Dias Nunes, Universidade da Amazônia (UNAMA)

Graduanda no Curso de Bacharelado em Fisioterapia pela Universidade da Amazônia (UNAMA)

Rafael Ângelo Araújo, Hospital Adventista de Belém; Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará; Hospital Saúde da Mulher

Coordenador do Hospital Adventista de Belém; Fisioterapeuta da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará; Fisioterapeuta do Hospital Saúde da Mulher; Graduado pela Faculdades Adventistas de Fisioterapia

Victória do Socorro Camilo Gaia, Universidade Estadual do Pará (UEPA)

Graduada no Curso de Bacharelado em Fisioterapia pela Universidade Estadual do Pará (UEPA)

Publicado

2018-09-17

Como Citar

de Oliveira, T. C., Moda, G. S. M., Ribeiro, A. K. P. de L., Nunes, S. E. D., Araújo, R. Ângelo, & Gaia, V. do S. C. (2018). Técnicas de higiene brônquica em recém-nascidos e lactentes na unidade de terapia intensiva: revisão sistemática de ensaios clínicos. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 8(3), 420–429. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v8i3.1958

Edição

Seção

Revisões de Literatura