Influência do desalinhamento postural na pressão arterial de indivíduos hipertensos: estudo exploratório de corte transversal

Autores

  • Ana Lucia Barbosa Goes ESCOLA BAHIANA DE MEDICINA E SAÚDE PÚBLICA (EBMSP) UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA (UFBA)
  • Davi Mota de Jesus Physiotherapist
  • Tiago Bastos Silva Physiotherapist
  • Vinícius Cardoso Lago Physiotherapist
  • Luis Agnaldo Pereira de Souza Doctor MSc in Internal Medicine Professor at Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
  • Ana Marice Teixeira Ladeia Doctor PhD in Medicine and Health Professor at Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v8i2.1955

Palavras-chave:

Hipertensão. Pressão arterial. Postura.

Resumo

INTRODUÇÃO: Sistema nervoso simpático (SNS) tem sido considerado sistema integrador na regulação da Pressão Arterial (PA). Postura também é regulada pelo SNS. Sistemas que regulam a PA atuam no controle postural. OBJETIVO: Testar a hipótese que Desalinhamentos Posturais (DP) se associam com a pressão arterial em indivíduos hipertensos. MÉTODOS: Estudo transversal, exploratório, com 40 indivíduos hipertensos, em uso regular de anti-hipertensivos. Todos foram submetidos a Monitorização Ambulatorial Da Pressão Arterial (MAPA) e avaliação da postura pelo Software de Avaliação Postural (SAPO). Para associação entre ângulos de postura e variáveis pressóricas, utilizou-se testes t de student, Mann-Whitney e Exato de Fisher, com nível de significância de 5%. O estudo foi registrado no Clinical Trials, sob protocolo NCT02401516. RESULTADOS: Para a Pressão Arterial Sistólica (PAS), deslocamento anterior de tronco apresentou menor variação vigília/sono (14,7%vs25,3%, p=0,01), tornozelo em flexão com maiores cargas pressóricas: 21,9%vs7,8% para carga total (p=0,02), 21,8%vs9% para carga durante vigília (p=0,04) e 21,9%vs7,9% para carga durante sono (p=0,02). Para a Pressão Arterial Diastólica (PAD), deslocamento de tronco posterior apresentou maior carga pressórica (24,0%vs16,2%, p=0,04) e deslocamento anterior menor variação vigília/sono (14,4%vs25,5%, p=0,01), quadril em flexão apresentou maior carga pressórica (29,4%vs18,3%, p=0,02). A partir de Escore de Postura (EP), postura alterada apresentou menor variação vigília/sono, tanto para PAS (13,7%vs22,8%, p=0,03) como PAD (11,5%vs23,5%, p=0,01). CONCLUSÃO: DP pode se associar com pressão arterial. Três ou mais alterações nos ângulos de postura se associaram com menor variação da pressão vigília/sono.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Lucia Barbosa Goes, ESCOLA BAHIANA DE MEDICINA E SAÚDE PÚBLICA (EBMSP) UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA (UFBA)

PROFESSORA DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA EBMSP. ESPECIALISTA EM POSTURA E POSTUROLOGIA. MESTRA E DOUTORANDA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA E SAÚDE HUMANA (PGMSH).

Publicado

2018-05-16

Como Citar

Barbosa Goes, A. L., de Jesus, D. M., Silva, T. B., Lago, V. C., de Souza, L. A. P., & Ladeia, A. M. T. (2018). Influência do desalinhamento postural na pressão arterial de indivíduos hipertensos: estudo exploratório de corte transversal. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 8(2), 248–257. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v8i2.1955

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)