Comparação da força e resistência dos músculos inspiratórios entre ativos e sedentários

Autores

  • Francisco Tiago Oliveira de Oliveira 1- Universidade Federal da Bahia 2- Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
  • Jefferson Petto 1- Faculdade Social da Bahia 2- Universidade Salvador
  • Mateus Souza Esquivel
  • Cristiane Maria Carvalho Costa Dias BAHIANA
  • Ana Carolina Santana Oliveira Escola bahiana de medicina e saúde pública
  • Roque Aras Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v8i2.1926

Palavras-chave:

Músculos inspiratórios. Força muscular inspiratória. Teste incremental.

Resumo

INTRODUÇÃO: A prática regular de atividade física está associada com melhora do estado de saúde, aumento da capacidade funcional, aumento da força muscular e redução da mortalidade por doenças cardíacas. Apesar dos benefícios de a prática regular de exercício físico estarem consolidados na literatura, as adaptações na força e resistência dos músculos inspiratórios são controversas. OBJETIVO: Testar a hipótese que não há diferença da força e resistência dos músculos inspiratórios entre indivíduos ativos e sedentários. MÉTODOS: Estudo observacional de corte transversal. Avaliou-se indivíduos entre 18 e 30 anos, ambos os sexos e saudáveis. Os voluntários foram divididos em ativos e sedentários de acordo a classificação da American College of Sports Medicine  (ACMS). Os indivíduos tiveram a força máxima dos músculos inspiratórios (FMI) determinada através do dispositivo POWERbreathe® K5 inspiratory muscle trainer, que intula esta variável como Sindex. A resistência dos músculos inspiratórios foi avaliada través de um teste incremental. Para comparação das médias foi aplicada o teste t de student para distribuição simétrica, p< 0,05. O estudo foi aprovado pelo comitê de ética em pesquisa com CAAE : 37781014.4.0000.5544. RESULTADOS: Foram avaliados 92 indivíduos, destes 55 (60%) foram classificados como ativos e 57 (62%) do sexo masculino. Ao realizar a comparação do Sindex entre ativos e sedentários (128±26; 119±24 cmH2O; p=0,85) e da exaustão no teste incremental (65±16% e 60±16%;p=0,095), respctivamente. CONCLUSÃO: Os indivíduos ativos não apresentam músculos inspiratórios mais fortes e resistentes quando comparados com sedentários.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Tiago Oliveira de Oliveira, 1- Universidade Federal da Bahia 2- Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública

1- Discente do Programa de Pós Graduação em Medicina e Saúde

 

Jefferson Petto, 1- Faculdade Social da Bahia 2- Universidade Salvador

1- Docente do curso de FIsioterapia

2 Docente do curso de FIsioterapia

Roque Aras, Universidade Federal da Bahia

Programa de Pós Graduação em Medicina e Saúde

Publicado

2018-05-14

Como Citar

de Oliveira, F. T. O., Petto, J., Esquivel, M. S., Carvalho Costa Dias, C. M., Oliveira, A. C. S., & Aras, R. (2018). Comparação da força e resistência dos músculos inspiratórios entre ativos e sedentários. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 8(2), 223–229. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v8i2.1926

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>