Correlação entre desempenho funcional e o tempo de permanência de pacientes neurocirúrgicos na unidade de terapia intensiva

Autores

  • Débora Ribeiro Paiva
  • Caroline Ferreira Guerreiro HGRS
  • Jorge Luís Motta dos Anjos HGRS

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v8i2.1866

Palavras-chave:

Unidades de terapia intensiva. Neurocirurgia. Deambulação precoce. Modalidades de Fisioterapia. Tempo de internação.

Resumo

INTRODUÇÃO: Os pacientes neurocirúrgicos são predispostos a disfunções neurológicas inerentes à doença de base, às alterações sensório-motoras, cognitivas e tem sua mobilidade reduzida na fase aguda pós-operatória. OBJETIVO: Investigar a correlação entre desempenho funcional e o tempo de permanência de pacientes neurocirúrgicos na unidade de terapia intensiva (UTI) e descrever a frequência de retirada do leito nesse período. MÉTODOS: Trata-se de um estudo observacional, de corte transversal, realizado em uma UTI cirúrgica de um hospital de alta complexidade da rede pública estadual em Salvador, Bahia. Foram incluídos indivíduos adultos submetidos a algum tipo de neurocirurgia, sendo excluídos aqueles transferidos para outra unidade ou hospital antes da alta. Retirou-se dos prontuários dados sociodemográficos, clínicos e sobre a retirada do leito. A medida de independência funcional (MIF) foi avaliada no momento da alta e a correlação com o tempo de internação na UTI foi verificada através do coeficiente de Spearman. RESULTADOS: Foram incluídos no estudo 26 pacientes, sendo 57,7% (15) do sexo feminino, com idade média de 37,2±12,9 anos. Foi observado que 56% (14) dos pacientes foram mobilizados em menos de 24 horas de internação da UTI e aqueles que não foram mobilizados durante o internamento tiveram como justificativa a restrição médica. Não houve correlação entre o escore funcional da MIF na alta com o tempo de internação na UTI (r= 0,3 p=0,11). CONCLUSÃO: A prática de retirada do leito foi iniciada dentro das 24 horas de internação na UTI, evidenciando um perfil de pacientes com independência funcional modificada ou completa na alta, entretanto sem correlação com o tempo de internação na UTI.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Débora Ribeiro Paiva

Fisioterapeuta Residente em Terapia Intensiva e Emergência do Hospital Geral Roberto Santos/EESP. 

Caroline Ferreira Guerreiro, HGRS

MS. FISIOTERAPEUTA TUTORA DA RESIDÊNCIA DE FISIOTERAPIA EM TERAPIA INTENSIVA E EMERGÊNCIA DO HGRS

Jorge Luís Motta dos Anjos, HGRS

MS. FISIOTERAPEUTA COORDENADOR DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA DE FISIOTERAPIA EM TERAPIA INTENSIVA E EMERGÊNCIA DO HGRS

Publicado

2018-05-23

Como Citar

Paiva, D. R., Guerreiro, C. F., & dos Anjos, J. L. M. (2018). Correlação entre desempenho funcional e o tempo de permanência de pacientes neurocirúrgicos na unidade de terapia intensiva. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 8(2), 167–174. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v8i2.1866

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)