Aspectos socioeconômicos dos genitores de crianças com microcefalia relacionada ao Zika vírus

Autores

  • Amanda Estrela Gonçalves Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC) - Salvador
  • Sibele Dayane Brazil Tenório Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC) - Salvador
  • Priscila Correia da Silva Ferraz Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC) - Salvador

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v8i2.1865

Palavras-chave:

Socioeconômico. Microcefalia. Zika. Principal cuidador.

Resumo

INTRODUÇÃO: A microcefalia é uma má formação cerebral que não tem cura e é caracterizada por um perímetro cefálico inferior ao esperado para idade e sexo. É relacionada ao Zika Vírus que é transmitido pelo mosquito Aedes e quando contraído nos primeiros meses gestacionais aumentam as chances do feto desenvolver a microcefalia, já que o desenvolvimento cerebral tem início na fase intra-uterina. OBJETIVO: Esta pesquisa tem como objetivo caracterizar o perfil socioeconômico dos responsáveis por criança com diagnóstico de microcefalia relacionado ao Zika vírus. MÉTODOS: Foram entrevistados 41 cuidadores principais das crianças com microcefalia em Salvador e Região Metropolitana de Salvador, através de um questionário contendo 30 perguntas fechadas que abordavam questões familiares, socioeconômicas e sanitárias. RESULTADOS: Observou-se que a maioria dos bebês tinha entre 15-18 meses e tiveram seu diagnóstico em sua maior parte no momento intrauterino. Houve uma frequência elevada de desemprego entre os pais, que relataram sobreviver com até 1 salário mínimo mensal, possuíam ensino médio completo, encontravam-se solteiros ou em união estável e um número significativo citaram condições sanitárias desfavoráveis e negaram usar repelente. De um modo geral, os principais cuidadores relataram que não possuíam residência própria e grande parte levavam as crianças para fazerem atendimentos multiprofissionais tanto em hospitais públicos como em instituições sem fins lucrativos. CONCLUSÃO: Há uma frequência predominante de genitores que dispõem de crianças com microcefalia relacionada ao Zika vírus em baixas condições socioeconômica, que consequentemente não conseguem suprir a maioria das necessidades que um lactente com má formação necessita.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amanda Estrela Gonçalves, Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC) - Salvador

Bacharel em Fisioterapia na Faculdade de Tecnologia e Ciências - Salvador

Sibele Dayane Brazil Tenório, Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC) - Salvador

Bacharel em Fisioterapia na Faculdade de Tecnologia e Ciências - Salvador

Priscila Correia da Silva Ferraz, Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC) - Salvador

Fisioterapeuta, Especialista em Fisioterapia Pediátrica e Neonatal, Docente assistente (FTC/Salvador).

Publicado

2018-04-17

Como Citar

Gonçalves, A. E., Tenório, S. D. B., & Ferraz, P. C. da S. (2018). Aspectos socioeconômicos dos genitores de crianças com microcefalia relacionada ao Zika vírus. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 8(2), 155–166. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v8i2.1865

Edição

Seção

Artigos Originais