AVALIAÇÃO DA ISOMETRIA DO MÚSCULO TRANSVERSO ABDOMINAL EM UNIVERSITÁRIAS DO CURSO DE FISIOTERAPIA

Guilherme Veiga Pereira, Cássia Luz Goulart, Daniel Fernando Cruz, Lisiane Lisboa Carvalho

Resumo


Introdução: Uma abordagem alternativa pode ser a unidade de pressão por biofeedback (PBU) cuja medição é indireta avaliando a atividade do transverso do abdômen através de mudanças de pressão da parede abdominal.Objetivo: reconhecer as Universitárias do curso de fisioterapia que se apresentam com baixo nível de atividade física e deficiência de ativação do transverso do abdômen. Materiais e Métodos: Estudo transversal, com amostra por conveniência e não probabilística, composta de 49 universitárias jovens (22,0±3,7 anos; 1,62±0,5m; 58,6±10,1kg; IMC= 22,0±3,5) matriculadas no Curso de Fisioterapia da UNISC. Foi aplicado o questionário internacional de atividade física (IPAQ), respondido o questionário, a universitária era questionada quanto à presença de dor lombar, quantificando a mesma pela Escala Visual Analógica (EVA) e, então era realizado o teste com biofeedback (PBU) em decúbito ventral. Resultados: Foi observado que das 49 participantes do estudo, 35 (72,43%) destas apresentaram ativação do Transverso do Abdômen (TrA) e 14 (27,57%) ficaram fora dos padrões de ativação muscular. Além disso, foi evidenciado que universitárias obesas conseguiram manter por mais tempo a contração do TrA (p=0,05) e universitárias que possuem mais idade são mais ativas (p=0,04). Conclusão: Estes achados sugerem que universitárias que apresentam baixo nível de atividade física apresentam boa ativação do TrA e que as obesas tiveram uma variação menor de pressão.

Palavras-chave


Biofeedback pressórico; Dor lombar; Questionário

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v7i4.1606

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Guilherme Veiga Pereira, Cássia Luz Goulart, Daniel Fernando Cruz, Lisiane Lisboa Carvalho

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

A RPF foi indexada e/ou catalogada nas seguintes bases de dados:

                                                  

 

Revista Pesquisa em Fisioterapia | ISSN: 2238-2704

Site atualizado em 28/02/2018

Licença Creative Commons