CONCEPÇÃO DE ACADÊMICOS DE SAÚDE SOBRE A PNPIC E SUA APLICABILIDADE NO SUS

Autores

  • Karen Valadares Trippo UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA http://orcid.org/0000-0002-0182-0129
  • Lucas Almeida Universidade Federal da Bahia
  • Mariana Cruz de Jesus Universidade Federal da Bahia
  • Mariana Santana Nascimento Universidade Federal da Bahia
  • Nathalia Lucia Moreira Universidade Federal da Bahia
  • Maísa Cibele Oliveira Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v7i4.1577

Palavras-chave:

PNPIC, SUS, Práticas Integrativas e Complementares, Concepção, Educação em Saúde

Resumo

Introdução: A Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) objetiva garantir a integralidade à saúde através de práticas com abordagem holística. Objetivo: Avaliar a concepção e o conhecimento dos acadêmicos de saúde acerca da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PIC) e sua aplicabilidade no Sistema Único de Saúde (SUS). Material e Métodos: Estudo transversal, descritivo, realizado com 56 acadêmicos de saúde, participantes de uma palestra aberta intitulada “POLÍTICA NACIONAL DE PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES NO SUS: Você Conhece?”. Foi aplicado um questionário semiestruturado, auto administrado, antes e imediatamente após a palestra. Os dados foram descritos por valores absolutos e frequência relativa. Para comparar as frequências oriundas das amostras pareadas foi utilizado o teste de McNemar (p<0,05). Resultados: Antes da palestra, 67,9% desconheciam a PNPIC e quais eram as PIC e 66,1% nunca foram esclarecidos sobre a existência e aplicabilidade destas práticas por profissionais de saúde e em sua formação acadêmica, bem como 69,6% não sabiam dizer se poderiam ser oferecidas no SUS. Após a palestra houve mudanças positivas nesse perfil: 91,1% (p<0,001) declararam conhecer a PNPIC, 73,2% (p<0,001) responderam que receberam esclarecimentos sobre a existência e aplicabilidade da PNPIC e 89,3% (p<0,001) afirmaram que as PIC poderiam ser oferecidas pelo SUS. Conclusão: Os resultados sugerem que os participantes, após a palestra, ampliaram seus conhecimentos relacionados à PNPIC. Estudos de seguimento são recomendados, bem como estender a pesquisa para profissionais da área de saúde, a título de comparação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Karen Valadares Trippo, UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

Karen Valadares Trippo. Fisioterapeuta-UCSAL. Doutoranda em Ciências da Saúde-UFBA. Mestra em Gestão e Tecnologias Aplicadas à Educação-UNEB. Especialista em Gerontologia-UFBA. Professora Assistente com Dedicação Exclusiva na Universidade Federal da Bahia-UFBA, Departamento de Fisioterapia, Salvador, Bahia, Brasil.

Lucas Almeida, Universidade Federal da Bahia

Bacharel em Fisioterapia na Universidade Federal da Bahia – UFBA, Membro Efetivo do Grupo de Extensão em Terapias Complementares e Integrativas na Fisioterapia - UFBA

Mariana Cruz de Jesus, Universidade Federal da Bahia

Bacharelado em Fisioterapia na Universidade Federal da Bahia – UFBA, Membro Efetivo do Grupo de Extensão em Terapias Complementares e Integrativas na Fisioterapia - UFBA

Mariana Santana Nascimento, Universidade Federal da Bahia

Bacharelado em Fisioterapia na Universidade Federal da Bahia – UFBA, Membro Efetivo do Grupo de Extensão em Terapias Complementares e Integrativas na Fisioterapia - UFBA

Nathalia Lucia Moreira, Universidade Federal da Bahia

Graduanda em Fisioterapia na Universidade Federal da Bahia – UFBA, Membro Efetivo do Grupo de Extensão em Terapias Complementares e Integrativas na Fisioterapia - UFBA

Maísa Cibele Oliveira, Universidade Federal da Bahia

Bacharelado em Fisioterapia na Universidade Federal da Bahia – UFBA, Membro Efetivo do Grupo de Extensão em Terapias Complementares e Integrativas na Fisioterapia - UFBA

Downloads

Publicado

2017-11-22

Como Citar

Trippo, K. V., Almeida, L., de Jesus, M. C., Nascimento, M. S., Moreira, N. L., & Oliveira, M. C. (2017). CONCEPÇÃO DE ACADÊMICOS DE SAÚDE SOBRE A PNPIC E SUA APLICABILIDADE NO SUS. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 7(4), 481–488. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v7i4.1577

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)