PERCEPÇÃO DE MÃES COM FILHOS DIAGNÓSTICADOS COM AUTISMO

Autores

  • Denize Cruz Rocha da Silva Graduada em Fisioterapia pela Faculdade Independente do Nordeste
  • Juliana Barros Ferreira Especialista em Fisioterapia Dermatofuncional. Docente da Faculdade Independente do Nordeste e da Faculdade de Tecnologia e Ciências
  • Vanessa Cruz Miranda Mestre em Saúde Pública pela ENSP/FIOCRUZ
  • Karla Cavalcante Silva de Morais Mestre em Saúde Pública pela ENSP/FIOCRUZ; Docente da Faculdade Independente do Nordeste e da Faculdade Maurício de Nassau - VCA. Especialista em Fisioterapia em Traumato-Ortopedia e Reumatologia pela Faculdade Independente do Nordeste;Especialista em Saúde Coletiva com ênfase em PSF pela Faculdade Independente do Nordeste; Bacharel em Fisioterapia pela Faculdade de Tecnologias e Ciências.

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v7i3.1506

Palavras-chave:

Transtorno autístico, Percepção, Fisioterapia, Cuidado da criança

Resumo

Introdução: Crianças autistas podem apresentar diminuição do tônus muscular, atraso no desenvolvimento motor caracterizado pelo o grupo de desordens complexas de desenvolvimento do cérebro, fazendo-se necessário o acompanhamento fisioterapêutico, prevenindo e minimizando assim os comprometimentos ocasionados pela a síndrome. Objetivo: Este estudo buscou compreender a percepção das mães sobre o diagnóstico e o cuidado do filho Autista. Metodologia: Trata-se de um estudo do tipo descritivo, exploratório com delineamento transversal e abordagem quali quantitativa. A pesquisa foi desenvolvida no município de Vitória da Conquista - BA, e para coleta foi utilizado um questionário semiestruturado, formulado pela pesquisadora que incluiu variáveis de questionamento como: idade, escolaridade, profissão, estado civil, além disso, houve a presença de questões norteadoras referentes ao conhecimento das mães sobre o autismo, como elas se sentem sendo mãe de uma criança autista, dentre outras. Para análise dos dados foi utilizado o método de análise de conteúdo de Bardin. Foram empregados os seguintes critérios de inclusão: Mães com idade entre 18 a 60 anos, de crianças que foram diagnosticadas com autismo e que foram atendidas na APAE de Vitória da Conquista - BA. Resultados: O presente estudo identificou que as mães entrevistadas apresentam conhecimento pouco satisfatório sobre a síndrome, o que dificulta nos cuidados e melhor qualidade de vida dessas crianças Autistas. Quanto as variáveis sócio demográficas, identificou-se quanto ao grau de escolaridade ensino fundamental completo (41,67%), e no quesito renda familiar (75%) das participantes apresentaram renda de uma dois salários mínimos. Os achados do presente estudo serviram desta forma, para analisar que há a necessidade de criação de campanhas que possa levar mais informações para as mães e para toda a comunidade afim de ingressar essas crianças na sociedade de forma que não haja preconceitos e desigualdades. Conclusão: O presente estudo teve como objetivo identificar as dificuldades enfrentadas pelas mães ao cuidar de uma criança autista. É de extrema importância a necessidade da capacitação  dos profissionais de saúde para que possam auxiliar e orientar essas mães quanto ao diagnóstico e os cuidados que devem ser tomadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-08-29

Como Citar

Cruz Rocha da Silva, D., Barros Ferreira, J., Cruz Miranda, V., & Cavalcante Silva de Morais, K. (2017). PERCEPÇÃO DE MÃES COM FILHOS DIAGNÓSTICADOS COM AUTISMO. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 7(3), 377–383. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v7i3.1506

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)