Equilíbrio corporal, mobilidade e força muscular respiratória de idosas praticantes do método Pilates

Autores

  • Jade Almeida Rocha Martinez Universidade Federal da Bahia
  • Lívia Regina Gonçalves Carneiro da Silva
  • Daniel Dominguez Ferraz Universidade Federal da Bahia
  • Mansueto Gomes Neto Universidade Federal da Bahia
  • Cássio Magalhães da Silva e Silva Universidade Federal da Bahia
  • Micheli Bernardone Saquetto Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v8i1.1413

Palavras-chave:

Equilíbrio Postural. Musculatura respiratória. Idoso. Exercício

Resumo

INTRODUÇÃO: O Método Pilates é baseado em movimentos do corpo inteiro, respiração, concentração, centralização, precisão e ritmo. Não está claro se a prática desta atividade é superior à manutenção de um estilo de vida ativo. OBJETIVO: Comparar o equilíbrio corporal, a mobilidade e a força muscular respiratória de mulheres idosas praticantes do Método Pilates e idosas ativas. MÉTODOS: Estudo transversal analítico em 22 idosas, sendo 11 praticantes do Método Pilates (PMP) e 11 idosas ativas (IA). As participantes foram classificadas pelo Perfil de Atividade Humana (PAH) e avaliadas por Timed up and Go (TUG), Escala de Equilíbrio de Berg (EEB) e manovacuometria. RESULTADOS: A idade da amostra foi de 69,36 ± 9,49 anos. A média no TUG das PMP foi de 8,06 ± 4,29 segundos, e das IA de 8,28 ± 2,82 (p>0,05). Na EEB, a média do escore pelas PMP foi 54,63 ± 1,91 e pelas IA foi 52,90 ± 4,01 (p>0,05). Quanto à avaliação da força muscular respiratória, também não houve diferença significativa entre os grupos, mas houve diferença nas IA ao comparar os valores reais (PiMáx = 59,00 cmH2O e PeMáx = 54,00 cmH2O), com os preditivos (PiMáx = 77,12 cmH2O e PeMáx = 74,18 cmH2O), com p<0,05. CONCLUSÃO: Manter-se fisicamente ativa ou praticar o Método Pilates parece ter o mesmo efeito sobre o equilíbrio corporal e a mobilidade de mulheres idosas, principalmente entre os 60 e 65 anos. No entanto, idosas que praticam Pilates parecem manter a força muscular respiratória mais adequada à sua idade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jade Almeida Rocha Martinez, Universidade Federal da Bahia

Fisioterapeuta formada pela Universidade Federal da Bahia, Pós-Graduanda em Fisiologia do Exercício pela UNIGAT.

Lívia Regina Gonçalves Carneiro da Silva

Fisioterapeuta graduada pela Universidade Federal da Bahia.

Daniel Dominguez Ferraz, Universidade Federal da Bahia

Fisioterapeuta, Mestre em Neurorehabilitação pela Universitat Autonoma de Barcelona, Professor Assistente do Curso de Fisioterapia. Universidade Federal da Bahia – Salvador (BA), Brasil.

Mansueto Gomes Neto, Universidade Federal da Bahia

Fisioterapeuta, Doutor em Medicina e Saúde - Universidade Federal da Bahia (UFBA). Mestre em Ciências da Reabilitação - Universidade Federal de Minas Gerais. Professor Adjunto I do departamento de Biofunção. Coordenador do curso de Fisioterapia e professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Medicina e Saúde da UFBA, Salvador (BA), Brasil.

Cássio Magalhães da Silva e Silva, Universidade Federal da Bahia

Fisioterapeuta, Mestre, Professor Assistente do Curso de Fisioterapia. Universidade Federal da Bahia – Salvador (BA), Brasil.

Micheli Bernardone Saquetto, Universidade Federal da Bahia

Fisioterapeuta, Mestre, Professor Assistente do Curso de Fisioterapia. Universidade Federal da Bahia – Salvador (BA), Brasil.

Publicado

2018-09-17

Como Citar

Martinez, J. A. R., da Silva, L. R. G. C., Ferraz, D. D., Neto, M. G., da Silva e Silva, C. M., & Saquetto, M. B. (2018). Equilíbrio corporal, mobilidade e força muscular respiratória de idosas praticantes do método Pilates. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 8(1), 8–15. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v8i1.1413

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2