EFEITO AGUDO DA SESSÃO DE TREINAMENTO MUSCULAR INSPIRATÓRIO: INDIVÍDUOS COM DOENÇA RENAL CRÔNICA VS HÍGIDOS

Autores

  • Lidiane Duarte de Oliveira Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUI
  • Juliana Schneider Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUI
  • Eliane Roseli Winkelmann Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUI

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v7i1.1173

Palavras-chave:

Fisioterapia, avaliação em saúde, exercicios respiratórios

Resumo

Introdução: O treinamento muscular inspiratório (TMI) é uma das alternativas de tratamento para fraqueza muscular inspiratória, inclusive para pacientes com doença renal crônica (DRC), porém poucos estudos relatam sobre as alterações hemodinâmicas e respiratórias durante a sessão do treinamento. Objetivo: Verificar as repercussões hemodinâmicas e respiratórias em indivíduos com DRC e hígidos submetidos a uma sessão de TMI.  Materiais e Métodos: A amostra foi constituída de 18 indivíduos, 10 hígidos e 8 com DRC. Avaliou-se a força muscular inspiratória (PImax) e a carga do equipamento Threshold® para o TMI, foi ajustada a 30% deste valor. Durante o TMI coletou-se dados das variáveis hemodinâmicas: frequência cardíaca (FC), pressão arterial sistólica (PAS) e diastólica (PAD) e variáveis respiratórias: percepção de esforço percebido (Borg) da dispnéia (Bd), saturação periférica de oxigênio (SpO2) e frequência respiratória (FR). Resultados: Entre as variáveis hemodinâmicas e respiratórias analisadas no início, durante e no fim do TMI, não se observou diferença estatisticamente significativa quando comparados os grupos DRC e hígidos, porém somente houve diferença estatística significativa (p=0,041) na FR dos DRC pré e pós intervenção. Conclusão: Este estudo verificou que durante a sessão de TMI não ocorrem repercussões no comportamento hemodinâmico e respiratório, tanto em indivíduos com DRC, assim como, em indivíduos hígidos. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lidiane Duarte de Oliveira, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUI

Fisioterapeuta pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUI. Ijuí, Rio Grande do Sul, Brasil.

Juliana Schneider, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUI

Fisioterapeuta. Especialização em andamento na Pós-graduação em Fisioterapia em Terapia Intensiva da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUI. Ijuí, Rio Grande do Sul, Brasil.

Eliane Roseli Winkelmann, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUI

Fisioterapeuta. Doutora em Cardiologia e Ciências Cardiovasculares. Docente da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUI. Ijuí, Rio Grande do Sul, Brasil.

Downloads

Publicado

2017-02-21

Como Citar

Oliveira, L. D. de, Schneider, J., & Winkelmann, E. R. (2017). EFEITO AGUDO DA SESSÃO DE TREINAMENTO MUSCULAR INSPIRATÓRIO: INDIVÍDUOS COM DOENÇA RENAL CRÔNICA VS HÍGIDOS. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 7(1), 13–19. https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v7i1.1173

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)