ALTERAÇÕES NA POSTURA E NA MARCHA DO PORTADOR DA DOENÇA DE PARKINSON

Autores

  • Fernando Jorge Seixas Atta UNIME – União Metropolitana de Educação e Cultura. Faculdade de União de Ciências Agrárias e da Saúde
  • Bárbara Lobo EBMSP – Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública. GDSNME – Grupo de Pesquisa em Dinâmica do Sistema Musculoesquelético
  • Ailton Mello UFBA – Universidade Federal da Bahia
  • Abrahão Fontes Baptista GDSNME – Grupo de Pesquisa em Dinâmica do Sistema Musculoesquelético & UFBA – Universidade Federal da Bahia
  • Selena Márcia Dubois Mendes EBMSP – Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública. GDSNME – Grupo de Pesquisa em Dinâmica do Sistema Musculoesquelético
  • Kátia Nunes Sá EBMSP – Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública. GDSNME – Grupo de Pesquisa em Dinâmica do Sistema Musculoesquelético

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v1i1.11

Palavras-chave:

Doença de Parkinson, Postura, Marcha, Fisioterapia

Resumo

Introdução: Estudos sugerem uma possível relação entre a doença de Parkinson e alterações observadas na marcha e postura dos seus portadores, referindo que a ausência da dopanimina afeta o controle motor o que leva às disfunções do movimento. Objetivo: Avaliar as alterações na postura e na marcha de indivíduos parkinsonianos, através de ferramentas de avaliação da postura estática e parâmetros cinemáticos da marcha. Metodologia: Foram avaliados em um modelo de corte transversal, dezesseis indivíduos acometidos pela doença e dezesseis indivíduos hígidos, com idade entre 55 e 75 anos e altura e peso variado, porém pareados. A postura no plano sagital foi classificada em oito grupos e a marcha avaliada em cinco dos seus parâmetros através de observadores clínicos cegos. Resultados: Entre os sujeitos com Parkinson foram verificadas alterações significativas para a cifose torácica e cabeça anteriorizada. Houve também associação clínica entre costas planas e joelho flexum. Na análise de associação foi verificado que em quatro variáveis estudadas na marcha apresentaram médias menores no grupo com Parkinson, tendo destaque a amplitude média do passo, seguida da cadência e comprimento da passada. A única variável que apresentou média inferior no grupo controle foi largura do passo. Conclusão: A doença de Parkinson afeta o desmpenho motor da marcha e o equilíbrio postural, porém a largura de passo que deveria ser maior no grupo teste como

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-07-03

Como Citar

Seixas Atta, F. J., Lobo, B., Mello, A., Fontes Baptista, A., Dubois Mendes, S. M., & Nunes Sá, K. (2015). ALTERAÇÕES NA POSTURA E NA MARCHA DO PORTADOR DA DOENÇA DE PARKINSON. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 1(1). https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v1i1.11

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>