TRATAMENTO DA CANDIDÍASE VULVOVAGINAL E NOVAS PERSPECTIVAS TERAPÊUTICAS: UMA REVISÃO NARRATIVA

Autores

  • Mariana Robatto Dantas Leal
  • Maria Clara Neves Pavie Cardoso Lima
  • Sibele de Oliveira Tozetto Klein
  • Patrícia Virginia Silva Lordelo Garboggi Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública

DOI:

https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v6i4.1021

Palavras-chave:

candidíase vulvovaginal, mulheres, tratamento, fototerapia

Resumo

Introdução: A candidíase vulvovaginal (CVV) é um processo infeccioso do trato geniturinário inferior feminino causada pelo fungo Candida. No Brasil, é o segundo diagnóstico mais comum em ginecologia e tem ocasionado preocupação dos profissionais da saúde devido ao crescente número de casos recorrentes. A dificuldade na abordagem terapêutica da CVV aponta para a relevância do desenvolvimento de estudos que abordem as atuais terapias utilizadas para esta infecção e suas limitações, atentando os profissionais da área a desenvolver a visão crítica acerca do tema e buscar modificações no manejo clínico.  Objetivo: Este estudo visa descrever o panorama atual dos tratamentos da CVV e as novas perspectivas terapêuticas. Estratégia Metodológica: Foi desenvolvida uma revisão de literatura contendo artigos em língua inglesa e portuguesa acerca dos atuais tratamentos existentes para CVV e possíveis perspectivas terapêuticas.  Resultados: Nota-se que os casos de CVV, principalmente os recorrentes, têm apresentado limitação na resposta aos tratamentos medicamentosos atuais e por isto há uma crescente busca por inovações terapêuticas. Dentre as novas possibilidades, o Diodo Emissor de Luz (LED) azul 405 nm é uma possível modalidade de tratamento, no entanto, necessita-se de mais estudos que comprovem sua eficácia. Conclusão: A terapia antifúngica atual tem apresentado limitações, principalmente nos casos de recorrência e isto fortalece a necessidade de busca de novas modalidades terapêuticas que sejam capazes de tratar o processo infeccioso inibindo os mecanismos de resistência do microorganismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Robatto Dantas Leal

Fisioterapeuta, Mestre em Medicina e Saúde Humana, Doutoranda em Medicina e Saúde Humana pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, pesquisadora do centro de Atenção ao Assoalho Pélvico, membro do grupo de pesquisa do CNPq Saúde da Mulher, Salvador/Bahia/Brasil

Maria Clara Neves Pavie Cardoso Lima

Fisioterapeuta, Mestranda em Tecnologias em Saúde pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, pesquisadora do Centro de Atenção ao Assoalho Pélvico, membro do grupo de pesquisa do CNPq Saúde da Mulher, Salvador/Bahia/Brasil

Sibele de Oliveira Tozetto Klein

Bióloga, Pós Doutora em Genética pela Universidade de São Paulo, professora colaboradora do Programa de Pós Graduação da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, professora adjunta do Centro de Ciências da Saúde, chefe do Núcleo de Intercâmbio da Superintendência de Assuntos Internacionais da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

Patrícia Virginia Silva Lordelo Garboggi, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública

Fisioterapeuta, Pós Doutora em Ginecologia pela Universidade Federal de São Paulo, professora adjunta do Programa de Pós Graduação da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, coordenadora e fundadora do Centro de Atenção ao Assoalho Pélvico, coordenadora do grupo de pesquisa do CNPq Saúde da Mulher Salvador/Bahia/Brasil

Publicado

2016-11-25

Como Citar

Dantas Leal, M. R., Pavie Cardoso Lima, M. C. N., Tozetto Klein, S. de O., & Lordelo Garboggi, P. V. S. (2016). TRATAMENTO DA CANDIDÍASE VULVOVAGINAL E NOVAS PERSPECTIVAS TERAPÊUTICAS: UMA REVISÃO NARRATIVA. Revista Pesquisa Em Fisioterapia, 6(4). https://doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v6i4.1021

Edição

Seção

Revisões de Literatura