SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DA COQUELUCHE EM SALVADOR - BAHIA NOS ANOS DE 2012 A 2014

Autores

  • Ana Maria Cruz Santos Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
  • Kelly Cerqueira Medeiros Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública

DOI:

https://doi.org/10.17267/2317-3378rec.v4i2.717

Palavras-chave:

Coqueluche, Imunização, Vigilância Epidemiológica

Resumo

O presente estudo objetivou descrever a situação epidemiológica da coqueluche no município de Salvador no estado da Bahia nos anos de 2012 a 2014. Trata-se de um estudo descritivo com abordagem quantitativa através da utilização de dados secundários disponíveis no Sistema de Informação de Agravos de Notificação do Ministério da Saúde. Os resultados apontam uma evidência elevada de notificações na primeira infância, com maior incidência nos primeiros meses de vida. Frente a esse cenário, o Ministério da Saúde ampliou o público alvo das campanhas de vacinação, incluindo a vacina tríplice acelular para gestantes, visando garantir proteção aos recém-nascidos até que completem o esquema básico de vacinação. Conclui-se que, além do reforço da manutenção de cobertura vacinal, é de suma importância a inclusão da coqueluche nos diagnósticos diferenciais de tosse prolongada, provendo tratamento precoce aos doentes e permitindo a adoção de medidas de controle capazes de prevenir a expansão da doença a indivíduos suscetíveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Maria Cruz Santos, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública

Enfermeira; Especialista em Saúde da Criança e do Adolescente; Professora Auxiliar do Curso de Enfermagem.

Kelly Cerqueira Medeiros, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública

Enfermeira

Downloads

Publicado

2016-03-08

Como Citar

Santos, A. M. C., & Medeiros, K. C. (2016). SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DA COQUELUCHE EM SALVADOR - BAHIA NOS ANOS DE 2012 A 2014. Revista Enfermagem Contemporânea, 4(2). https://doi.org/10.17267/2317-3378rec.v4i2.717

Edição

Seção

Artigos Originais