Participação paterna na unidade de terapia intensiva neonatal segundo a concepção da equipe de enfermagem

Autores

  • Gustavo Assis Afonso UniFOA - Centro Universitário de Volta Redonda
  • Nycolas Ferreira Xavier Francisco UniFOA - Centro Universitário de Volta Redonda
  • Rosane Belo Carvalho de Castro UniFOA - Centro Universitário de Volta Redonda

DOI:

https://doi.org/10.17267/2317-3378rec.v10i2.3815

Palavras-chave:

UTI Neonatal. Equipe de Enfermagem. Pai.

Resumo

OBJETIVO: identificar a visão de membros da equipe de enfermagem acerca da participação do pai durante a hospitalização do recém-nascido na unidade de terapia intensiva neonatal. MÉTODO: abordagem exploratória de natureza qualitativa, por intermédio de um questionário aberto, e posteriormente, submetido à análise de conteúdo de Bardin. RESULTADOS: o exame das entrevistas levou à construção de três categorias: discrepância em reconhecer a singularidade do pai no trinômio pai-mãe-filho; o acolhimento e a inserção do pai no contexto de cuidados com o RN; criação do vínculo familiar e auxílio no desenvolvimento clínico do RN. CONCLUSÃO: A equipe de enfermagem reconhece a figura paterna como provedor de benefícios para o RN e implementa práticas que promovem o seu acolhimento e aproximação com o filho. Contudo, equipe ainda possui uma visão defasada sobre a verdadeira função da paternidade no contexto familiar, contribuindo para a criação de um estigma social do homem como coadjuvante.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo Assis Afonso, UniFOA - Centro Universitário de Volta Redonda

Discente em Enfermagem.

Nycolas Ferreira Xavier Francisco, UniFOA - Centro Universitário de Volta Redonda

Discente em Enfermagem.

Rosane Belo Carvalho de Castro, UniFOA - Centro Universitário de Volta Redonda

Enfermeira. Mestre em Enfermagem. Docente do Curso de Enfermagem do Centro

Publicado

2021-08-18

Como Citar

Afonso, G. A., Xavier Francisco, N. F., & Carvalho de Castro, R. B. (2021). Participação paterna na unidade de terapia intensiva neonatal segundo a concepção da equipe de enfermagem. Revista Enfermagem Contemporânea, 10(2). https://doi.org/10.17267/2317-3378rec.v10i2.3815

Edição

Seção

Artigos Originais