PERCEPÇÕES E PRÁTICAS DE PROFISSIONAIS DE SAÚDE NO CUIDADO A PESSOAS IDOSAS HOSPITALIZADAS

Autores

  • Luciana Araújo dos Reis Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Faculdade Independente do Nordeste
  • Edméia Campos Meira Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB.
  • Andréa dos Santos Souza Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB.
  • Camila Calhau Andrade Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB.

DOI:

https://doi.org/10.17267/2317-3378rec.v3i2.320

Palavras-chave:

Profissionais de saúde. Hospitalização. Saúde do idoso.

Resumo

Objetivo: conhecer como os profissionais de saúde de uma rede hospitalar pública lidam com o processo de cuidar do idoso hospitalizado considerando legislações relacionadas à saúde da pessoa idosa. Metodologia: trata-se de um estudo qualitativo, descritivo, exploratório, realizado em um hospital público do interior da Bahia, tendo como amostra 14 profissionais de saúde atuantes nas unidades de Emergência, Terapia Intensiva e Clínicas Médica e Neurológica. Foram utilizados um formulário de identificação sociodemográfica e um roteiro para entrevista semiestruturada. Resultados: após coleta e análise de dados, 03 categorias emergiram, a saber: Representatividade da População Idosa no Serviço Hospitalar, Políticas Públicas de Saúde para a Pessoa Idosa: Percepção dos Profissionais e, Assistência e Violação de Direitos da Pessoa Idosa Hospitalizada. Conclusão: Deparamo-nos com profissionais que não conhecem as leis de amparo à pessoa idosa, mas que reconhecem sua importância e percebem as deficiências para aplicabilidade destas no dia-a-dia de serviços. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Araújo dos Reis, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Faculdade Independente do Nordeste

Fisioterapeuta, Mestre e Doutora em Ciências da Saúde/UFRN, Estágio Pós-doutoral em Saúde Coletiva/UFBA/ISC. Docente Adjunta da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia e Docente Titular da Faculdade Independente do Nordeste. E-mail: lucianauesb@yahoo.com.br.

Edméia Campos Meira, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB.

Enfermeira. Mestre em Enfermagem. Docente Adjunta do Departamento de Saúde da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB.

Andréa dos Santos Souza, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB.

. Enfermeira. Mestre e doutoranda em Enfermagem/UFBA. Docente Adjunta do Departamento de Saúde da UESB.

Camila Calhau Andrade, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB.

Enfermeira

Referências

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Sinopse do Censo Demográfico 2010. Rio de Janeiro: 2011.

Souza ACC, et.al. Formação do enfermeiro para o cuidado: reflexões da prática profissional. Revista Brasileira de Enfermagem 2006; 59 (6): 805-807.

Coelho Filho, JM. Modelos de serviços hospitalares para casos agudos em idosos. Revista de Saúde Pública 2000; 34 (6): 666-71.

Brasil. Ministério da Saúde. O SUS de A a Z : garantindo saúde nos municípios / Ministério da Saúde, Conselho Nacional das Secretarias Municipais de Saúde. – 3. ed. – Brasília : Editora do Ministério da Saúde, 2009.

Rodrigues RAP, et. al. Política nacional de atenção ao idoso e a contribuição da enfermagem. Texto Contexto e Contexto em Enfermagem 2007; 16(3).

Camacho ACLF, COELHO MJ. Políticas públicas para a saúde do idoso: revisão sistemática. Revista Brasileira de Enfermagem 2010; 63(2):279-84.

Barreira KS, VIEIRA LJES. O olhar da enfermagem para o idoso: revisão de literatura. Revista de Enfermagem da UERJ 2004; 12(3): 01-10.

Motta LB, Aguiar AC. Novas Competências profissionais em saúde e o envelhecimento populacional brasileiro: integralidade, interdisciplinaridade e intersetorialidade. Ciência & Saúde Coletiva 2007; 12(2): 363-372.

Brasil. Portaria N° 2.528, de 19 de outubro de 2006. Aprova a Política nacional de Saúde da Pessoa Idosa. Ministério da Saúde, Diário Oficial da União, Brasília 20 de Out. 2006.

Gorzoni ML, Pires SL. Idosos asilados em hospitais gerais. Revista de Saúde Pública 2006; 40(6): p.1124-30.

Almeida MNBC. Hotelaria Hospitalar: cultura e hospitalidade no atendimento a idosos. Centro de Excelência em Turismo. Universidade de Brasília – Brasília –DF, 2009.

Bardin L. Análise de Conteúdo. Lisboa, Portugal: Edições, 1997, p.42.

Minayo MCS, Sanches O. Quantitativo-Qualitativo: Oposição ou complementaridade? Cadernos de Saúde Pública 1993; 9(3): 239-262.

Camarano AA. A demografia e o envelhecimento populacional. In. Borges APA (Org.); Coimbra AMC (Org.). Envelhecimento e saúde da pessoa idosa. Rio de Janeiro, 2008.

Lima-Costa MFF. et al, Desigualdade social e saúde entre idosos brasileiros: um estudo baseado na pesquisa Nacional por Amostra de Domicilios. Cadernos de Saúde Pública 2003; 19(3): 745-757.

Piccini, RX et al. Necessidades de saúde comuns aos idosos: efetividade na oferta e utilização em atenção básica à saúde. Ciência & Saúde Coletiva 2006, 3(11): 657-667.

Menezes MR. Violência contra Idosos: é preciso se importar! In: Berzins MV, Malagutti W. (orgs). Rompendo o silêncio: faces da violência na velhice. São Paulo: Martinari, p. 27-58, 2010.

Organização Nações Unidas (ONU). Declaração Universal dos Direitos Humanos. Resolução 217 A (III) da Assembléia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948.

Downloads

Publicado

2014-12-22

Como Citar

Reis, L. A. dos, Meira, E. C., Souza, A. dos S., & Andrade, C. C. (2014). PERCEPÇÕES E PRÁTICAS DE PROFISSIONAIS DE SAÚDE NO CUIDADO A PESSOAS IDOSAS HOSPITALIZADAS. Revista Enfermagem Contemporânea, 3(2). https://doi.org/10.17267/2317-3378rec.v3i2.320

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)