Causas de recusa familiar na doação de órgãos e tecidos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17267/2317-3378rec.v7i1.2008

Palavras-chave:

Morte encefálica. Transplante. Obtenção de tecidos e órgãos.

Resumo

INTRODUÇÃO: A taxa de doações de órgãos e tecidos vem crescendo durante os anos. Porém, a não efetivação das doações ainda é alta, sendo o principal fator a recusa familiar. OBJETIVO: Descrever os motivos de recusa familiar para doação de órgãos e tecidos. MÉTODOS: Estudo quantitativo, descritivo, retrospectivo, transversal e exploratório, realizado com 350 prontuários de pacientes potenciais doadores de órgãos nos hospitais de Petrolina-PE, entre os anos de 2013 a 2017. Para coleta de dados utilizou-se um formulário de pesquisa elaborado pelas autoras. Os dados foram tabulados e armazenados no programa Excel for Windows/2013, compondo o banco de dados da pesquisa. Projeto aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade do Estado da Bahia sob nº 65496017.3.0000.0057. RESULTADOS: Foram analisados 350 prontuários de potenciais doadores os quais a entrevista familiar foi realizada. Para este estudo, foram utilizados apenas os prontuários em que houve a recusa familiar para a doação dos órgãos e tecidos, totalizando 147. As causas mais frequentes foram: corpo íntegro (36,0%), desconfiança do processo de doação (32,6%), doador contrário em vida (16,3%), revolta com atendimento da equipe hospitalar (4,7%), demora do processo de doação (2,7%), motivos religiosos e não compreensão da morte encefálica (1,3%). CONCLUSÃO: Percebe-se que os fatores de recusa remetem à falta de informação e divulgação sobre o processo de doação, sendo necessário que campanhas educativas sejam realizadas com o objetivo de esclarecer a população sobre esta temática, visando diminuir as negativas devido à recusa familiar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Christielle Lidianne Alencar Marinho, Universidade do Estado da Bahia

Graduada em enfermagem pela Universidade de Pernambuco (2008) e mestrado em Hebiatria pela Faculdade de odontologia de Pernambuco (2013). Atualmente é docente da Universidade do Estado da Bahia. Integrante do Grupo de Pesquisa sobre o Cuidado em Enfermagem - GPCenf. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Enfermagem, atuando principalmente nos seguintes temas: doação de órgãos, doença renal.

Ana Isabel Cezário de Carvalho Conceição, Universidade do Estado da Bahia

Enfermeira, graduada pela Universidade do Estado da Bahia.

Rudval Souza da Silva, Universidade do Estado da Bahia, Universidade Federal da Bahia,

Graduado em Enfermagem pela Faculdade de Enfermagem da Universidade Católica do Salvador - UCSal (2008), licenciatura em História pela Universidade do Estado da Bahia - UNEB/Campus IV (2003), mestrado (2010) e doutorado (2014) em Enfermagem pela Escola de Enfermagem da UFBA, Doutorado Sanduíche na Escola Superior de Enfermagem do Porto - Portugal (2013). Atualmente é Professor Adjunto da Universidade do Estado da Bahia UNEB/Campus VII. Editor Associado da Revista Baiana de Enfermagem e integrante do Copro Editorial dos periódicos: Cuidarte (Colômbia), Revista Referência (Portugal) e REUOL (UFPE/Brasil) e da Editora da UNEB (EDUNEB). Líder do Grupo de Pesquisas sobre o Cuidado em Enfermagem (GPCEnf). Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Cuidados Paliativos. Atuando principalmente nos seguintes temas: Tanatologia, Cuidados Paliativos, Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE), Processos de Enfermagem, Diagnóstico de Enfermagem, Sistemas de Classificações (CIPE, NANDA, NIC e NOC).

Downloads

Publicado

2018-10-19

Como Citar

Marinho, C. L. A., Conceição, A. I. C. de C., & Silva, R. S. da. (2018). Causas de recusa familiar na doação de órgãos e tecidos. Revista Enfermagem Contemporânea, 7(1), 34–39. https://doi.org/10.17267/2317-3378rec.v7i1.2008

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)