Uma análise documental do atendimento psicológico das vítimas de violência sexual infantil no pronto socorro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17267/2317-3394rpds.2023.e5213

Palavras-chave:

Violência, Sexual, Urgência, Hospital

Resumo

INTRODUÇÃO: O Hospital Odilon Behrens é um dos hospitais de referência que atende Vítimas de Violência Sexual (VVS) em Belo Horizonte nas primeiras 72 horas após a ocorrência da violência. OBJETIVO: Identificar os sinais e sintomas desenvolvidos após a violência sexual assim como os diversos fatores contextuais que devem ser considerados para compreender o impacto da violência sofrida no sujeito no atendimento no pronto socorro de um hospital de referência. MÉTODOS: Foi realizada uma análise de dados qualitativos coletados a partir de 187 relatórios realizados de todos os pacientes que foram atendidos pela equipe de psicologia no Pronto Socorro e que foram consequentemente encaminhados ao Conselho Tutelar, considerando os pacientes de sexo masculino e feminino com idade inferior a 18 anos que foram atendidos no período de janeiro a dezembro do ano 2021. RESULTADOS: 79,8% dos casos eram do sexo feminino, 38,4% entre os 6 a 12 anos, o tipo de revelação sexual mais incidente foi a detecção acidental, os sinais de violência sexual mais frequentes foram os sinais físicos seguido de sinais emocionais. DISCUSSÃO: Foi percebido que a incidência de violência sexual é subnotificada e que há um grande desconhecimento do fluxo de atendimento dos diversos dispositivos da rede. CONCLUSÃO: Não foi possível um único quadro psicopatológico ou sintomatologia característica para todos os casos de violência sexual, sublinhando a relevância da análise da subjetividade do sujeito e dos fatores contextuais no atendimento à vítima de violência sexual.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Referências

Bardin, L. (2016). Análise de Conteúdo. Edição revista e ampliada [Análisis de Contenido. Edición revista y ampliada] (L. A. Reto & A. Pinheiro, Trads.). Edições 70. (Trabalho original publicado em 1977).

Collings, S. J., Griffiths, S., & Kumalo, M. (2005). Patterns of disclosure in child sexual abuse [Patrones de revelación de abuso sexual infantil]. South African Journal of Psychology, 35(2), 270–285. https://doi.org/10.1177/008124630503500207

Glasser, M., Kolvin, I., Campbell, D., Glasser, A., Leitch, I., & Farrelly, S. (2001). Cycle of child sexual abuse: links between being a victim and becoming a perpetrator [Ciclos del abuso sexual infantil: vínculo entre ser la víctima y convertirse en el abusador]. The British Journal of Psychitry, 179(6), 482–494. https://doi.org/10.1192/bjp.179.6.482

Habigzang, L. F., Ramos, M. D., & Koller, S. H. (2011). A Revelação de Abuso Sexual: As Medidas Adotadas pela Rede de Apoio [La revelación del Abuso Sexual: Las Medidas Adoptadas por la Red de Apoyo]. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 27(4), 467–473. https://doi.org/10.1590/S0102-37722011000400010

Hospital Metropolitano Odilon Behrens. (2019) Protocolo para pacientes Vítimas de Violência Sexual [Protocolo para los pacientes Víctimas de Abuso Sexual].

Lei n. 13.431, de 4 de abril de 2017. (2017). Estabelece o sistema de garantia de direitos da criança e do adolescente vítima ou testemunha de violência e altera a Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente) [Establece el sistema de garantía de los derechos de los niños y adolescentes víctima o testigos de violencia y altera la Ley n. 8.069, del 13 de julio de 1990 (Estatuto de los niños y adolescentes)]. https://legislacao.presidencia.gov.br/atos/?tipo=LEI&numero=13431&ano=2017&ato=c57oXQU5EeZpWT7

Masson, J. M. (Ed.). (1986). A correspondência completa de Sigmund Freud para Wilhelm Fliess 1887–1904 [La correspondencia completa de Sigmund Freud a Wilhelm Fliess 1887-1904] (V. Ribeiro, Trad). Imago Editora. (Trabalho original publicado em 1985).

Paiva, L. D. (2017). Protocolo de humanização do atendimento às vítimas de violência sexual: evolução e possíveis melhorias [Protocolo de humanización del atendimento de las víctimas de abuso sexual: evolución y posibles mejorías] [Dissertação de bacharelado, Fundação João Pinheiro]. Repositório Digital de Monografias da EG/FJP. http://monografias.fjp.mg.gov.br/handle/mono/2312

Sanderson, C. (2008). Abuso Sexual em Crianças: Fortalecendo pais e professores para proteger crianças de abusos sexuais [Abuso Sexual en Niños: Fortaleciendo a los padres y profesores ara proteger a los niños de abusos sexuales]. M. Books.

Santos, M. E. P., & Macedo, E. B. (2020). Atendimento Psicossocial a crianças e adolescentes vítimas de abuso sexual: uma revisão de literatura [Atendimiento Psicossocial a niños y adolescentes víctimas de abuso sexual: uma revisión de literatura]. Polêm!ca – Revista Eletrônica da UERJ, 20(2), 22–41. https://doi.org/10.12957/polemica.2020.60207

Silva Júnior, A. P. (2006). Dano psíquico em crianças vítimas de abuso sexual sem comprovação de ato libidinoso ou conjunção carnal [Daño psíquico em niños víctimas de abuso sexual sin comprobante de acto libidinoso o conjunción carnal] [Dissertação de mestrado, Universidade de Brasília]. Repositório Institucional da UNB. https://repositorio.unb.br/handle/10482/2513

Silva, D. G., Gava, L. L., & Dell’Aglio, D. D. (2013). Sintomas e quadros psicopatológicos em supostas vítimas de abuso sexual: uma visão a partir da psicologia positiva [Síntomas y cuadros psicopatológicos en supuestas víctimas de abuso sexual: una visión a partir de la psicología positiva]. Aletheia, 40, 58–73. http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-03942013000100006

Publicado

24.11.2023

Edição

Seção

Artigos Originais

Como Citar

Uma análise documental do atendimento psicológico das vítimas de violência sexual infantil no pronto socorro. (2023). Revista Psicologia, Diversidade E Saúde, 12, e5213. https://doi.org/10.17267/2317-3394rpds.2023.e5213

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >>