Luto antecipatório: implicações e percepções culturais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.17267/2317-3394rpds.2022.e4074

Palavras-chave:

Luto antecipatório, Morte, Psicanálise

Resumo

INTRODUÇÃO: A elaboração de um luto antecipatório pode ser determinada por diferentes variáveis, sendo manifestada e vivenciada de forma única para cada indivíduo. Há fatores pessoais, sociais e culturais envolvidos no processo de elaboração de uma perda. OBJETIVO: Identificar possíveis implicações em um luto antecipatório, frente às diferentes percepções da morte. MÉTODO: Realizou-se um estudo qualitativo, de cunho exploratório e interpretativo. Como forma de ilustrar e discutir aspectos teóricos, selecionou-se recortes de cenas do filme Pronta para amar, os quais foram agrupados em categorias que envolvem: o contexto em que a personagem estava inserida no período anterior ao adoecimento; manifestações apresentadas por ela durante a elaboração de sua morte; o processo de aceitação; e as diferentes percepções das pessoas do seu convívio acerca da aproximação da sua morte. RESULTADOS: A partir da estratégia de emparelhamento, relacionou-se as categorias propostas com aspectos teóricos, enfatizando possíveis implicações de um luto antecipatório, frente às percepções que se manifestam. Considera-se que a elaboração de um luto será efetivada, então, principalmente a partir das variáveis envolvidas no processo de morte, vínculo e características individuais do enlutado, não apresentando um padrão para sua resolução. CONCLUSÃO: Da mesma forma, o luto antecipatório é multideterminado, podendo apresentar benefícios ou não ao enlutado, a partir dos recursos que este dispõe.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Fernandes, M. A., Costa, S. F. G., Morais, G. S. N., Duarte, M. C., Zaccara, A. A. L., & Batista, P. S. S. (2016). Cuidados paliativos e luto: um estudo bibliométrico [Cuidados paliativos y duelo: un estudio bibliométrico]. Escola Anna Nery. 20(4), 1-9. https://www.scielo.br/j/ean/a/dJ39JJfPjzpmJfjFZXd7Lzb/abstract/?lang=pt

Freitas, J. L. (2013). Luto e fenomenologia: uma proposta compreensiva [Duelo y fenomenología: una propuesta integral]. Revista da Abordagem Gestáltica, 19(1), 97-105. http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rag/v19n1/v19n1a13.pdf

Freud, S. (1974). Luto e Melancolia [Dolor y melancolía]. In: S. Freud. Obras completas de Sigmund Freud. p. 275-293. (T. O. Brito, P. H. Britto & C. M. Oitica, Trads.). Imago Editora. (Obra originalmente publicada em 1917).

Giacomin, K. C., Santos, W. J, & Firmo, J. O. A. (2013). O luto antecipado diante da consciência da finitude: a vida entre os medos de não dar conta, de dar trabalho e de morrer [Duelo preventivo ante la conciencia de la finitud: la vida en medio del miedo a no poder, a dar trabajo y a morir.]. Ciência & Saúde Coletiva, 18(9), 2487-2496. https://doi.org/10.1590/S1413-81232013000900002

Kassel, N. (Directora). (2011). Pronta para amar [Lista para amar] [película]. Imagem Filmes.

Klein, M. (1996). O luto e suas relações com os estados maníacos-depressivos [El duelo y su relación con los estados maníaco-depresivos]. In: M. Klein. Amor, culpa e reparação e outros trabalhos [Amor, culpa y reparación y otras obras]. p. 385-412. (A. Cardoso, Trad.) Imago Editora. (Obra originalmente publicada em 1940)

Kovács, M. J. (1992). Luto e desenvolvimento humano [Duelo y desarrollo humano]. Casa do Psicólogo.

Kübler-Ross, E. (1998). Sobre a morte e o morrer [Sobre la muerte y el morir] (P. Menezes, Trad.). Martins Fontes. (Obra originalmente publicada em 1969).

Langdon, E. J & Wiik, F. B. (2010). Antropologia, saúde e doença: uma introdução ao conceito de cultura aplicado às ciências da saúde [Antropología, salud y enfermedad: una introducción al concepto de cultura aplicado a las ciencias de la salud]. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 18(3), 174-181. https://doi.org/10.1590/S0104-11692010000300023

Laville, C. & Dionne, J. (1999). A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas [La construcción del conocimiento: manual de metodología de la investigación en ciencias humanas.]. (H. Monteiro & F. Settineri, Trads.) Artmed.

Parkes, C. M. (2009). Amor e perda: as raízes do luto e suas complicações [Amor y pérdida: las raíces del duelo y sus complicaciones] (M.H.P. Franco, Trad.). Summus.

Rando, T. A. (1993). Treatment of complicated mourning [Tratamiento del duelo complicado]. Chanpaign: Research press company

Rente, M. A. M. & Merhy, E. E. (2020). Luto e não-violência em tempos de pandemia: precariedade, saúde mental e modos outros de viver [Duelo y no violencia en tiempos de pandemia: precariedad, salud mental y otras formas de vida.]. Psicologia & Sociedade, 32, e020007. https://doi.org/10.1590/1807-0310/2020v32240329

Rodriguez, M. I. F. (2014). Um olhar para a despedida: um estudo do luto antecipatório e sua implicação no luto pós-morte [Una mirada de despedida: un estudio sobre el duelo anticipado y sus implicaciones en el duelo posterior a la muerte] [Disertación de maestría, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo]. Repositório PUCPS. https://tede2.pucsp.br/handle/handle/15342

Santos, R. C. S., Yamamoto, Y. M. & Custódio, L. M. G. (2017). Aspectos teóricos sobre o processo de luto e a vivência do luto antecipatório [Aspectos teóricos del proceso de duelo y la experiencia del duelo anticipado]. Psicologia.pt: o portal dos psicólogos. http://www.psicologia.pt/artigos/textos/A1161.pdf

Worden, J. W. (2013). Aconselhamento do luto e terapia do luto: um manual para profissionais da saúde mental [Asesoramiento en materia de duelo y terapia del mismo: manual para profesionales de la salud mental] (A. Zilberman, L., Bertuzzi & S. Smidt, Trads.). 4ed. Roca.

Publicado

2022-11-10

Como Citar

Cemin, T. M., & Einsfeld, P. . (2022). Luto antecipatório: implicações e percepções culturais . Revista Psicologia, Diversidade E Saúde, 11, e4074. https://doi.org/10.17267/2317-3394rpds.2022.e4074

Edição

Seção

Estudos Teóricos