[1]
F. T. O. de Oliveira, M. E. Freitas, C. N. Almeida, R. S. Santana, C. O. Queiroz, e C. M. C. Costa Dias, “Efeito do pré-condicionamento isquêmico remoto no consumo máximo de oxigênio e potência máxima em corredores e ciclistas: revisão sistemática e metanálise”, Rev Pesq Fisio, vol. 11, nº 2, p. 435–444, maio 2021.