Tendinites em praticantes de musculação: estudo transversal

Kleyton Trindade Santos, Leonardo da Silva Lima, Warlisson Santos Teixeira

Resumo


INTRODUÇÃO: Exercícios com cargas vêm se mostrando eficiente na promoção de saúde e ocupando cada vez mais espaço no cenário de prática esportiva atual, porém merecem atenção em relação a ocorrência de lesões, em especial as tendinites. OBJETIVO: Avaliar a prevalência de tendinites em praticantes de musculação, divididos em três grupos, verificando os fatores de associação. MÉTODOS: Estudo transversal, descritivo e analítico, de caráter quantitativo. A amostra foi composta por 208 alunos com idade a partir de 18 anos. Foi utilizado um questionário próprio composto de dados sociodemográficos e relacionados à presença ou não de tendinites, que foi confirmada através do diagnóstico médico. Os dados foram tabulados e analisados no SPSS 15.0, sendo geradas as frequências relativas e absolutas de interesse para pesquisa. As associações entre a tendinite, o tipo de treinamento e os fatores associados foram analisadas a partir do teste do qui-quadrado ou Exato de Fischer. RESULTADOS: A prevalência de tendinite foi de 17,8% foi associada ao treino de hipertrofia, ser do sexo masculino, usar anabolizantes, suplementos e medicamentos, além de não treinar  sem supervisão. CONCLUSÃO: A tendinite apresenta-se como uma lesão frequente em praticantes de musculação. Existem alguns fatores que contribuem para ocorrência dessa lesão, servindo de alerta aos profissionais de saúde a fim de minimizar essa lesão.


Palavras-chave


Musculação. Exercícios. Tendinite.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.17267/2238-2704rpf.v8i1.1739

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Kleyton Trindade Santos, Leonardo da Silva Lima, Warlisson Santos Teixeira

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

A RPF foi indexada e/ou catalogada nas seguintes bases de dados:

                                                  

 

Revista Pesquisa em Fisioterapia | ISSN: 2238-2704

Site atualizado em 28/02/2018

Licença Creative Commons